As coisas definitivamente não estão indo bem para os lados da Blizzard. A empresa vem perdendo seus executivos um após o outro, além de algumas dezenas de funcionários, em decorrência das denúncias de casos de abuso, assédio e discriminação de gênero que vieram a público em um processo judicial nos EUA. Esses problemas internos acabam afetando, obviamente, o desenvolvimento dos jogos. Então o comunicado feito nesta quarta-feira (3) não chega a ser uma surpresa: ‘Diablo 4’ e ‘Overwatch 2’ não serão lançados em 2022.

Ambos os jogos estão sendo adiados, sem novas janelas de lançamento fornecidas, de acordo com um comunicado feito durante uma apresentação para investidores. De acordo com a Activision Blizzard, os dois projetos “se beneficiariam com mais tempo de desenvolvimento”. A decisão coloca os dois lançamentos para, no mínimo, 2023, enquanto ‘Diablo 3’ foi lançado em 2012 e ‘Overwatch’ em 2016.

publicidade

Em geral, adiamentos em games costumava significar que desenvolvedores teriam mais tempo para melhorar um projeto antes de lançá-lo – ou seja, uma coisa boa. Mas a notícia fez com que os preços das ações da Activision Blizzard caíssem mais de 14% no mercado. É verdade que o valor da companhia vem caindo desde julho, mas na mesma apresentação para investidores, a empresa garantiu que sua receita trimestral foi de US$ 2,07 bilhões, e que ainda faturou mais de US $ 1 bilhão no terceiro trimestre de 2021 (julho – setembro) apenas em microtransações.

E se o lado “Blizzard” da empresa está com problemas, o lado “Activision” ainda tem suas cartas nas mangas, em especial com ‘Call of Duty: Vanguard’, que será lançado ainda esse mês. Por outro lado, a empresa anunciou recentemente o cancelamento da BlizzConline, agendada anteriormente para o começo do ano que vem.

Leia também:

A empresa emitiu um comunicado afirmando que decidiu “dar um passo para trás e fazer uma pausa no planejamento”. A ideia é manter a equipe focada nos jogos da companhia. “Esta foi uma decisão difícil para todos nós, mas é a certa”, afirma a nota divulgada.

Todo o processo legal contra a Activision Blizzard começou em meados de julho. Desde então, vieram à tona várias alegações de assédio sexual, discriminação e abuso de mulheres e de outros grupos marginalizados. Após o estado da Califórnia entrar com um processo contra a empresa por conta de denúncias do tipo no ambiente de trabalho, a empresa prometeu melhorar a cultura de trabalho – algo insuficiente para segurar alguns funcionários, inclusive o CEO.

Via: Game Rant