Com mais de 90% da quantidade de satélites necessária para cobertura global já em operação, a SpaceX tem dado passos largos na evolução de seu projeto Starlink, que visa oferecer acesso rápido à internet em qualquer lugar do planeta.

Internet via satélite da SpaceX: projeto Starlink sai da fase beta, mas enfrenta crise mundial dos chips. Imagem: AlexLMX – Shutterstock

Recentemente, foram disponibilizadas algumas atualizações no site oficial do projeto. Dentre elas, destaca-se a extinção do termo beta, o que significa que o serviço de internet via satélite já está em sua versão definitiva acessível ao público. Ao menos, em tese.

publicidade

Ocorre que, por outro lado, a SpaceX também alertou os clientes que a atual escassez de chips em todo o mundo está atrasando os pedidos. 

Os atrasos potenciais resultantes da falta de chips foram descritos pela SpaceX na nova seção de Suporte/FAQ da Starlink, que foi adicionada ao site na noite da última quinta-feira (28). “A escassez de silício atrasou a produção, o que afetou nossa capacidade de atender aos pedidos. Visite a página da sua conta para obter a estimativa mais recente sobre quando você pode esperar que seu pedido seja atendido”, diz o comunicado.

Sabe-se que a contínua escassez de chips afetou negativamente várias indústrias em todo o mundo, então não é surpreendente que a produção dos kits Starlink da SpaceX também tenha sido atingida, acarretando nesses atrasos. 

Leia mais:

De acordo com o site Teslarati, a conclusão da fase beta está de acordo com as estimativas do CEO Elon Musk divulgadas em setembro, quando ele observou que a Starlink provavelmente sairia da última versão teste em outubro

Com a versão beta concluída, as velocidades anunciadas do Starlink também foram atualizadas. Segundo o site do serviço, os clientes podem esperar “velocidades de download entre 100 Mbps e 200 Mbps e latência de até 20 ms na maioria dos locais”.

Anteriormente, a SpaceX havia listado as velocidades estimadas do Starlink em “50 Mbps a 150 Mbps e latência de 20 ms a 40 ms na maioria dos locais”.

Em relação à disponibilidade prevista para início das operações, a empresa esclarece que os tempos de remessa esperados da Starlink foram adiados para o final de 2022 ou início de 2023 em algumas partes dos EUA. Em outras regiões, no entanto, é possível que haja disponibilidade até meados do ano que vem.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!