De acordo com o Observatório Obstétrico Brasileiro (OOBr), a Covid-19 foi responsável pela morte de 1.926 gestantes e puérperas. No entanto, do total de óbitos, 1.465 foram apenas em 2021, quando comparado ao ano anterior, houve um aumento de 217% no número de mortes.

O relatório feito pelo OOBr aponta ainda que os casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) era de 7,3% em 2020 e aumentou para 14,3% em 2021. Desde março de 2020 até o último relatório, foram 18.534 casos de SRAG causados pela Covid-19.

publicidade
Todas as grávidas e puérperas são inclusas no grupo prioritário de vacinação pelo Ministério da Saúde
Covid-19: óbitos de gestantes e puérperas subiu 217% em 2021, em comparação a 2020. Imagem: Free-Photos (Pixabay)

O Observatório Obstétrico ainda ressalta que outros 13.920 casos de SRAG não tiveram a origem identificada, podendo também terem sido causados por Covid-19. Houveram 369 mortes dentro destes casos, também não sendo identificados.

Desde o início da pandemia, uma em cada cinco mulheres deste grupo não teve acesso as unidades de terapia intensiva (UTI) e cerca de 32,4% das doentes não foram intubadas, tratamento essencial em casos graves da Covid-19.

Casos de Covid-19 em bebês

Foram identificados mais de 12 mil casos de síndrome respiratória grave causada por Covid-19 em bebês de até 2 anos de idade, período ainda considerado essencial no desenvolvimento da criança. Nestes casos, foram registradas 973 mortes, sendo que 56,2% dos óbitos foram de bebês com até três meses de vida.

Leia também!

Dos bebês que morreram por Covid-19 nessa faixa etária, 30,8% não foram para UTI e 38,3% não passaram por intubação, recursos importantes nessas situações.

Em 2020 foram registrados mais de 33 mil casos de SRAG no público infantil, e cerca de 1.725 óbitos. Já em 2021, foram mais de 55 mil casos identificados e mais de 1,4 mil mortes.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!