Se tudo correr bem, os próximos dois dias manterão a SpaceX bastante ocupada, já que a empresa de Elon Musk deve levar ao espaço dois foguetes Falcon 9 – e trazer ambos de volta à Terra.

Isso porque, segundo o calendário da companhia, nós teremos o lançamento da missão Crew-3 – que já passou por diversos adiamentos – além do envio de uma nova leva de satélites da Starlink, a plataforma de internet via satélite da empresa, no que será o primeiro lançamento do projeto em seis meses.

publicidade

Leia também

Antecipando o retorno dos dois foguetes, a SpaceX já enviou seus navios autônomos de pouso para pontos específicos na região nordeste do oceano atlântico: os navios-drone JRTI (Just Read The Instructions) e ASOG (A Shortfall Of Gravitas) estarão posicionados a menos de 50 km de distância dos dois navios de suporte (“Bob” e “Doug”).

No que tange aos lançamentos, um dia e meio separam as missões: a Crew-3, que levará quatro astronautas da Nasa e ESA (a agência espacial europeia) à Estação Espacial Internacional (ISS), está marcada para partir hoje (10) a partir das 23h03 (horário de Brasília).

Nesta missão, uma cápsula Crew Dragon (batizadaEndurance” pelos quatro tripulantes) estará acoplada a um foguete Falcon 9. Originalmente, a missão estava programada para 31 de outubro, mas foi adiada até 3 de novembro numa tentativa de corrigir um defeito no banheiro da cápsula. Infelizmente, a correção proposta pela SpaceX não foi aprovada pela Nasa, o que significa que os astronautas terão que usar fraldas durante a viagem até a ISS.

Depois, o lançamento foi adiado para o dia 6 devido a um “problema médico” de natureza não explicada com um tripulante não identificado. Daí, o mau tempo forçou novamente o adiamento para o dia 8, e a decisão de trazer a tripulação da Crew-2 antes levou a este novo adiamento, desta vez para o dia 10.

Imagem mostra os quatro tripulantes da missão Crew-3. Da esquerda para a direita: Matthias Maurer (ESA), Thomas Marshburn (Nasa), Raja Chari (Nasa) e Kayla Barron (Nasa).

Missão será apenas uma das duas lançadas em um espaço de menos de dois dias pela SpaceX, que opera a ocasião.
Os astronautas da missão Crew-3, que voarão em direção à ISS na noite de hoje (10). Da esquerda para a direita: Matthias Maurer (ESA), Thomas Marshburn (Nasa), Raja Chari (Nasa) e Kayla Barron (Nasa) (Imagem: Nasa/Divulgação)

Presumindo que tudo corra bem, um dia e meio depois – ou seja, no próximo dia 12, a partir das 9:40 (horário de Brasília), um foguete Falcon 9 (B1062) levará 53 satélites Starlink v1.5, posicionando-os a uma região um pouco abaixo do normal em relação aos outros satélites da plataforma de internet da SpaceX.

Os satélites Starlink v1.5 contam com pequenos aprimoramentos de design, mas seu principal diferencial em relação à geração anterior (v1.0) é a presença de tecnologia de transmissão a laser, que em tese deve reduzir a latência das conexões de clientes atuais do serviço para algo abaixo de 20 milissegundos.

Atualmente, transferências de dados entre satélites necessitam da comunicação entre o satélite de origem com uma estrutura no solo, e dessa estrutura de volta para o satélite de destino antes do sinal ser distribuído aos usuários. Com a atualização, essa parte mais demorada do processo de conexão deve ser amplamente acelerada.

Outro ponto interessante do uso da tecnologia de lasers para a conexão de internet da Starlink, é o fato de que esse sistema poderá promover a troca de satélites de comunicação de forma mais veloz e fluída.

Por causa disso, os próximos dois dias se provarão corridos para a SpaceX, e nessa parte é que os navios-drone no Atlântico entrarão em ação: todos eles – drones e embarcações de suporte – são incumbidos de receber os foguetes que retornarão do espaço,e levá-los de volta à base da empresa para testes de qualidade, avaliações pós-missão e viabilidade de reutilização.

De acordo com a previsão do tempo (via Weather Channel), o clima nos EUA está ameno por hoje (10), e ao menos até agora a missão Crew-3 segue seu curso e será lançada normalmente – salvo por uma virada extrema no clima ou algum problema técnico. O lançamento será transmitido pelo canal oficial da Nasa no YouTube ou pelo site da agência.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!