O Parlamento de Portugal aprovou na última sexta-feira (5) uma nova lei que proíbe que as empresas entrem em contato com os funcionários que estão em home office após o fim da jornada de trabalho.

A decisão acontece em um momento crucial na retomada das atividades em todo o mundo. No início da pandemia de Covid-19, grande parte das empresas mandou seus funcionários para trabalharem em casa para evitar a contaminação pelo SARS-CoV-2.

publicidade

Leia também!

No entanto, este foi o primeiro contato de muitos funcionários e empresas com o famoso home office, dificultando a imposição de regras sobre o regime. Diversas pessoas relatam, inclusive, que o trabalho remoto é mais cansativo que o presencial, pois é mais difícil estabelecer um limite de horário para desempenhar as funções particulares e profissionais que acabam se misturando.

Visando acabar com o problema e proteger os empregados, o governo português pode multar as empresas que descumprirem a nova lei e perturbarem os funcionários após o fim do expediente.

Home office: Portugal proíbe que chefe entre em contato com funcionário após expediente. Imagem: iStock

As empresas só poderão contatar o profissional em casos excepcionais e justificados. Além disso, obrigatoriamente, as companhias devem promover um encontro presencial a cada dois meses para evitar o isolamento dos empregados.

No grupo de novas regras aprovadas pelo Partido Socialista, ainda existe uma obrigação das empresas em pagarem mais aos funcionários para os gastos provenientes do home office, como eletricidade e internet.

Apesar dos problemas ainda relatados em todo o mundo, profissionais da área de tecnologia enxergam o home office como uma solução para a escassez de mão de obra e preferem manter o regime de trabalho após a pandemia, de acordo com uma pesquisa feita pela GeekHunter.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!