A Fly Link, uma das companhias de telecomunicações que participaram do leilão do 5G, acabou retrocedendo na sua proposta de R$ 900 mil pelo lote H42, que permitiria à empresa explorar e ofertar a tecnologia na faixa de 26 GHz.

Nesta quarta-feira (10), foi definido pela Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) que o provedor de internet terá que arcar com uma multa de R$ 171,6 mil pela desistência. 

publicidade
Leilão do 5G: Anatel multa ‘Fly Link’ por desistir de lote
O provedor de internet que opera no município de Uberlândia (MG) seria uma das seis estreantes no setor de telefonia móvel no Brasil, junto com a Winity, Brisanet, Consórcio 5G Sul, Cloud2U e Neko. Imagem: ShutterBestStudio/Shutterstock

O valor foi calculado considerando a execução da garantia da proposta, uma regra prevista no edital. No caso específico do lote H42, esse valor foi de R$ 81.617,49. O restante da quantia se refere aos 10% da proposta da empresa pelo lote referido.

Veja também:

“É pesado para uma empresa ter que pagar só por ter participado. Mas olhando para o leilão como um todo, a saída impacta pouco na prática, porque se trata de um lote pequeno”, avaliou Abraão Silva, superintendente de Competição e presidente da comissão de licitação do 5G. 

Quer saber mais sobre o leilão do 5G? Acesse o especial do Olhar Digital.

Segundo a Fly Link, o motivo principal da desistência foi: um investidor não prosseguiu com o aporte financeiro necessário após a tele não ter conseguido arrematar outros dois lotes que complementariam o seu modelo de negócios, o C8 e F8 — ambos ficaram com a Algar Telecom. A tele, inclusive, lamentou a decisão.

Como o lote H42 foi adquirido com um lance único da Fly Link, a Anatel não pode simplesmente repassá-lo para outra empresa. Por ora, uma das alternativas consideradas pelo órgão regulador é avaliar outras propostas apresentadas para a faixa de 26 GHz.

Atualização: Em nota enviada à CNN, a FlyLink confirmou nesta quinta-feira (11) que “torna-se inviável” desenvolver o seu plano de negócios “contemplando apenas o lote H42”. Ainda assim, a empresa espera que um novo certame seja realizado em 2022: “Caso isso de fato se materialize, a Fly Link irá analisar as frequências que serão ofertadas pela Anatel, e eventualmente poderá participar do novo certame”.

Via: Convergência Digital, CNN

Créditos da imagem principal: rafastockbr/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!