Um bebê prematuro de 21 semanas (entre o 4° e 5° mês de gestação) nascido no ano passado completou seu primeiro ano de vida e se tornou o bebê mais prematuro do mundo a sobreviver, entrando para o Recorde Mundial do Guinness. De acordo com os médicos do ‘guerreiro’, que nasceu no Alabama, ele tinha menos de 1% de chance de sobrevivência e superou os parâmetros da ciência.

“Os números mostram que bebês nascidos tão jovens têm pouca ou nenhuma chance de sobrevivência”, disse o Dr. Brian Sims, professor de pediatria da UAB e o médico de plantão quando a mãe, Michelle Butler, chegou ao hospital, ao Guinness World Records.

publicidade
Bebê mais prematuro do mundo sobrevive e entra para o Recorde Mundial do Guinness. Imagem: reprodução Guiness Book

“Nunca fomos capazes de trazer um bebê tão jovem para a unidade de terapia intensiva neonatal, então [ele] foi literalmente o primeiro de seu tipo. Estávamos em território desconhecido”, acrescentou. 

Curtis Means, como é chamado, nasceu no dia 5 de julho de 2020 e era o menino de um casal de gêmeos. No entanto, infelizmente sua irmã, C’Asya Means, não resistiu e faleceu no segundo dia após o parto.

bebê mais prematuro do mundo
Bebê mais prematuro do mundo sobrevive e entra para o Recorde Mundial do Guinness. Imagem: reprodução Guiness book

Curtis nasceu pesando 420 gramas, segundo o Guinness World Records, isso seria o equivalente a uma bola de futebol. Ele recebeu cuidados médicos constantes para ajudá-lo a respirar, regular a temperatura corporal e se alimentar. Após cerca de três meses, os médicos conseguiram retirá-lo do respirador e, nove meses depois, recebeu alta.

Bebê mais prematuro do mundo sobrevive e entra para o Recorde Mundial do Guinness. Imagem: reprodução Guiness Book

Leia mais!

“Curtis desafiou todas as probabilidades científicas”, afirmou o Dr. Colm Travers, professor assistente da Divisão de Neonatologia que ajudou nos cuidados e tratamento.

Curtis nasceu exatamente um mês após o primeiro e único bebê mais prematuro do mundo, de quem tirou o título. Antes disso, o recorde permaneceu inalterado por 34 anos.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!