A Oi divulgou nesta quarta-feira (10) o seu relatório fiscal referente ao terceiro trimestre deste ano. O prejuízo da empresa ficou calculado em R$ 4,8 bilhões, um salto relevante de 82,4% se comparado ao mesmo período do ano passado.

Um dos fatores que influenciou negativamente nos resultados da tele foi a forte queda do real frente ao dólar. Os juros, por exemplo, aumentaram em razão das dívidas atreladas à moeda americana. Desse montante, a estimativa é que cerca de R$ 3,5 bilhões sejam fruto justamente dessa variação no câmbio. 

publicidade
Fachada da Oi; baixa do real impulsionou prejuízo bilionário da Oi no terceiro tri
A Oi também registrou ganhos em banda larga via fibra e telefonia móvel. Imagem: Fernando Dias Fotografia/Shutterstock

A receita da companhia, que segue sendo impactada desde 2020 pela instabilidade da economia e pela pandemia, registrou queda anual de 3,9%, fechando o período referido em R$ 4,52 bilhões. 

A Oi também revelou que reduziu seus investimentos em 9,6% no terceiro trimestre, enquanto sua dívida líquida cresceu 40,7%, respondendo por R$ 29,89 bilhões.

Leia mais:

Apesar dos resultados, a tele também registrou ganhos quando o assunto é banda larga via fibra e telefonia móvel. A Oi Móvel, atualmente propriedade da Claro, TIM e Vivo, conseguiu atrair 4 milhões de novos clientes desde o ano passado.

Em receita por segmento, a Oi registrou faturamento positivo em banda larga por fibra. Setor cujo número de clientes cresceu 81,5%, o que corresponde a 5,9 milhões de assinantes. No trimestre, segundo a empresa, das 13,5 milhões de casas com fibra FTTH (fiber to the home, tipo de cabeamento que liga o provedor diretamente até a casa do usuário), foi registrado um acréscimo de 1,4 milhão.

Por fim, a receita líquida anual de internet via fibra aumentou 96,4% (R$ 751 milhões). Considerando toda a base total de assinantes de serviços da Oi, que era de 13,73 milhões até setembro, houve queda de 4,6% frente ao terceiro trimestre do ano anterior.

Via: Telesíntese

Créditos da imagem principal: rafapress/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!