Na noite de lançamento do foguete Falcon 9 que levava a cápsula SpaceX Crew Dragon Endurance rumo à Estação Espacial Internacional (ISS), um meteoro cruzou o céu sobre o leste dos EUA logo após a decolagem. Algumas testemunhas conseguiram ver o duplo espetáculo de luzes simultaneamente.

Bola de fogo ilumina o céu cerca de 9 min após lançamento da missão Crew-3. Imagem: Captura de tela Twitter

Segundo o site Space, a Sociedade Americana de Meteoros (AMS) relatou quase 400 avistamentos da bola de fogo até o momento, sendo a maioria das observações vinda da Carolina do Norte. Há também registros provenientes de Washington DC, Delaware, Geórgia, Maryland, Nova Jersey, Pensilvânia, Carolina do Sul, Tennessee, Virgínia e Virgínia Ocidental.

publicidade

A bola de fogo iluminou o céu às 21h12 EST (23h12, pelo horário de Brasília) de quarta-feira (10), nove minutos após o lançamento da missão Crew-3. De acordo com a AMS, o meteoro fazia parte da chuva de meteoros Taurid, que ocorre todos os anos entre setembro e novembro, quando a Terra passa por um grande fluxo de destroços na esteira do cometa Encke.

Leia mais:

Meteoros são apenas efeitos luminosos

Também conhecido como “estrela cadente”, um meteoro é o efeito luminoso que ocorre quando fragmentos de material sólido que vagam pelo espaço em regiões próximas à Terra penetram na alta atmosfera terrestre. Mesmo fragmentos tão pequenos quanto um grão de areia são capazes de aquecer instantaneamente os gases atmosféricos, gerando o fenômeno.

Portanto, quando falamos em “meteoro” estamos nos referindo à luz, e não ao material sólido em si, que pode ser um pequeno asteroide, um meteorito ou resquício de cometas, por exemplo.

No caso da bola de fogo vista nos EUA na quarta-feira, que durou aproximadamente 3,5 segundos, dados de uma câmera da Nasa no oeste da Carolina do Norte sugerem que a rocha que ocasionou o fenômeno tinha uma massa de cerca de 20 quilos e largura em torno de 25 centímetros. 

Ela se partiu a uma altitude de 45 quilômetros, ao passar acima de Macclesfield, uma pequena vila na Carolina do Norte, viajando na direção noroeste a cerca de 53.000 km/h, segundo a AMS.

Quanto mais brilhante, mais raro

Todos os dias, vários milhares de meteoros queimam na atmosfera da Terra. A maioria deles, no entanto, passa despercebida quando chega acima dos oceanos ou durante o dia.

Quanto mais brilhantes as bolas de fogo, mais raras elas são. De acordo com a AMS, uma bola de fogo de magnitude visual -6 pode ser detectada a cada 200 horas de observação, enquanto uma bola de fogo de magnitude -4 pode ser esperada uma vez a cada 20 horas ou mais. 

Lembrando que, quanto menor o número da magnitude, mais brilhante é o objeto. O Sol, por exemplo, tem magnitude de -27. 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!