Se você costuma passar muito tempo no vaso sanitário mexendo no celular, saiba que isso pode trazer riscos para sua saúde, inclusive aumentando as chances de desenvolver hemorroidas. Passar longos períodos na privada é uma das situações que ajuda no desenvolvimento da condição.

De acordo com a Agência Einstein, fazer muita força para evacuar também facilita o aparecimento de hemorroidas, isso pois o ato provoca uma dilatação do vaso sanguíneo e aumenta as chances de algum tipo de ruptura na região. O quadro pode ainda evoluir para a formação de coágulos de sangue no ânus, o que pode ser bastante grave.

publicidade

Por conta disso, os médicos não recomendam passar muito tempo no vaso ou fazer muito esforço para evacuar. “Não é aconselhado ficar no banheiro muito tempo fazendo força. Sentar ali e não induzir a força não tem problema, mas provocar um esforço não é bom”, explica André Augusto Pinto, da Sociedade Brasileira de Cirurgia Laparoscópica e Minimamente Invasiva (Sobracil) para a Agência Einstein.

Cuidados com hemorroidas

As hemorroidas são como almofadas cheias de sangue que são encontradas no final do trato digestivo. Elas causam dor, coceira e sangramentos, limitando a produtividade de suas vítimas. A maior parte das pessoas que sofrem
desta doença conseguem tratar com medicamentos, porém, as formas mais graves requerem tratamentos mais sérios e até intervenções cirúrgicas.

Leia também!

É importante ressaltar que nem todo mundo que passa horas no vaso vai desenvolver hemorroidas e essa também não é a única forma de ter a doença. As causas mais comuns são obstrução intestinal e as fezes ressecadas. Esses dois casos costumam ser consequências de problemas na alimentação como a falta de fibras e água.

“Com isso, as fezes ficam mais ressecadas. E, quanto mais ressecadas, mais tempo demora para passar pelo intestino e chegar até o ânus”, disse o cirurgião André Augusto Pinto, também para a agência.

Segundo o Ministério da Saúde, os sintomas das hemorroidas variam de pequenos sangramentos a pequenas irritações no local, coceira e dor intensa, dependendo do tipo e da localização. O sangramento ocorre, geralmente, após a evacuação, e raramente leva a anemia ou a hemorragia aguda. Os sintomas menos comuns são a perda de muco e a sensação de evacuação incompleta.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!