O volume de criptomoedas movimentado no Brasil no acumulado do ano (de janeiro a setembro) já soma US$ 4,6 bilhões, o equivalente a R$ 25,1 bilhões na cotação atual. Em fevereiro, as importações de ativos digitais somaram o montante de US$ 386 milhões, enquanto em maio foi registrado a maior quantia até aqui em 2021: US$ 756 milhões.

Contudo, considerando apenas o mês de setembro, que movimentou US$ 401 milhões em criptoativos, foi observado pelo Banco Central uma queda de 19,8% na importação desses ativos frente a agosto.

publicidade
Ilustração 3D das criptomoedas bitcoin e ethereum
Mercado de criptomoedas vale mais de US$ 3 trilhões. Imagem: astro boie/Shutterstock

Um dos motivos para a queda nas importações em setembro foi o mês negativo para o mercado cripto, período em que o valor de mercado de moedas digitais chegou a registrar queda de 13%, ficando ligeiramente acima dos US$ 2 trilhões.

Entretanto, com a recuperação vista ao longo de outubro e nas primeiras semanas de novembro, o mercado cripto bateu o seu recorde de valorização, passando da marca de US$ 3 trilhões. Fato que inclusive foi destaque aqui no Olhar Digital — a capitalização, segundo a plataforma CoinGecko, continua acima desse valor na manhã desta segunda-feira (15).

Via: Cointelegraph

Veja também:

Criptomoedas do metaverso fecharam a última semana em alta

Na última sexta (12), as maiores valorizações observadas no mercado cripto foram das criptomoedas ligadas ao metaverso e jogos baseados em blockchain.

A MANA, por exemplo, a criptomoeda baseada na blockchain ethereum utilizada no jogo Decentraland, foi o criptoativo que registrou a maior alta diária, cerca de 27%. No momento da publicação, o ativo vale, segundo a CoinMarketCap, US$ 3,33, sua maior cotação das últimas duas semanas, período em que flutuava na casa dos US$ 2,40.

Apesar dos ganhos, a moeda digital não conseguiu ultrapassar a sua valorização do fim de outubro, quando os tokens do metaverso explodiram em virtude da entrada do Facebook neste mercado. A MANA foi a mais beneficiada no período, chegando a bater US$ 4,69.

Créditos da imagem principal: Alpha Footage/Shutterstock

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!