O Banco Central (BC) aprovou em setembro deste ano o PIX Saque e PIX Troco, Produto da Agenda Evolutiva do PIX. Os novos recursos já têm data para serem implementados e estarão disponíveis nas instituições que possuem o método de pagamento instantâneo a partir de 29 de novembro.

Segundo o BC, “o PIX Saque permitirá que todos os clientes de qualquer participante do PIX realizem um saque em um dos pontos que ofertar o serviço. Estabelecimentos comerciais, redes de caixas eletrônicos (ATMs) compartilhados e os próprios participantes do PIX, por meio de seus ATMs próprios, poderão ofertar o serviço. Para ter acesso aos recursos em espécie, basta que o cliente faça um PIX para o agente de saque, em dinâmica similar à de um PIX normal, a partir da leitura de um QR Code mostrado ao cliente ou a partir do aplicativo do prestador do serviço.”

publicidade

Leia mais!

No caso do PIX Troco, “a dinâmica é idêntica, com a diferença que o saque de recursos em espécie acontece junto com a realização de uma compra no agente de saque. Nesse caso, o PIX é feito pelo valor total (compra + saque). O extrato do cliente evidenciará o valor correspondente ao saque e o valor correspondente à compra.”

O limite máximo das transações do PIX Saque e do PIX Troco será de R$ 500,00 durante o dia, e de R$ 100,00 no período noturno (das 20 horas às 6 horas). Também haverá limites por saque para os usuários sacadores.

PIX Saque e PIX troco começam a funcionar no fim de novembro. Imagem: Reprodução Banco Central
PIX Saque e PIX troco começam a funcionar no fim de novembro. Imagem: Reprodução Banco Central

“O propósito do BC é aumentar a capilaridade de pontos de retirada de recursos em espécie aos usuários finais do Pix, além de promover o aumento da eficiência nos serviços de saque por meio da redução de custos e de melhorias nas condições de oferta e de precificação”, sintetizou o diretor de Organização do Sistema Financeiro e de Resolução do BC, João Manoel Pinho de Mello.    

Os estabelecimentos poderão definir o produto que querem ofertar, sendo possível escolher apenas um ou ambos. Segundo o Chefe da Gerência de Gestão e Operação do PIX do Banco Central, Carlos Eduardo Brandt, não há nenhum tipo de obrigatoriedade ao comércio, “o comércio oferece esse serviço se ele achar que faz sentido.”

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!