O uso de máscaras se mostrou a medida não farmacológica mais eficaz no combate à Covid-19, segundo dados de um estudo global sobre a doença. De acordo com a pesquisa, o uso do acessório reduziu em 53% a incidência da Covid-19 ao redor do mundo.

As vacinas já se provaram seguras e eficazes, porém, por enquanto, elas ainda são um privilégio de quem vive em países ricos. Além disso, nenhuma delas confere 100% de proteção e ainda não se conhece o nível de proteção dos imunizantes no longo prazo e em relação às novas variantes.

publicidade

Ainda é cedo para tirar a máscara

Desde o início da pandemia, a Covid-19 já infectou mais de 255 milhões de pessoas no mundo inteiro, ou seja, em média, são infectadas pelo menos 12,5 milhões de pessoas a cada mês. Hoje, estima-se que sejam pelo menos 625 mil novos casos por dia, com média móvel de 9,1 mil mortes.

Porém, esse número poderia ser ainda menor se as regras referentes ao uso de máscaras ainda não tivessem sido flexibilizadas em diferentes partes do mundo. Segundo a nova pesquisa, o uso de máscaras foi mais eficaz do que outras medidas não farmacológicas, como lavagem de mãos e distanciamento social.

Leia mais:

Segundo a equipe, contudo, os resultados foram ainda melhores quando essas medidas foram adotadas em conjunto, aliadas a campanhas amplas de vacinação. Outras medidas, como bloqueios e fechamentos, ainda precisam de mais dados para avaliar quais são seus reais efeitos positivos e negativos.

Os efeitos das medidas não farmacológicas

Homem lavando as mãos
Lavagem das mãos se provou uma medida efetiva, mas não foi estatisticamente relevante. Imagem: Maridav/Shutterstock

Medidas não farmacológicas, como o uso de máscaras, costumam ser bastante efetivas no controle de doenças respiratórias, como é o caso da Covid-19. Porém, só agora está sendo possível medir qual foi a real eficácia dessas medidas na contenção da pandemia ao longo dos últimos 20 meses.

Agora, pesquisadores da Universidade Monash, em Sidney, na Austrália, e da Universidade de Edimburgo, na Escócia, analisaram os dados de mais de 30 estudos realizados em diferentes lugares do mundo. O uso de máscaras reduziu a incidência de Covid-19 em 53%, enquanto o distanciamento social reduziu em 25%.

Outras medidas bastante eficazes foram a lavagem de mãos e o uso de álcool em gel, que também indicaram reduções na casa dos 50% na incidência de Covid-19. Porém, esses dados são estatisticamente menos relevantes, já que o número de estudos foi bem menor do que os relacionados às máscaras.

Via: The Guardian

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!