O estudante que estiver com um diagnóstico positivo para a Covid-19 ou outras doenças infectocontagiosas não deve comparecer ao local de prova do Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem, e deve solicitar a reaplicação do teste. O pedido de remarcação da prova deve ser solicitado pela página do participante em até cinco dias úteis depois do segundo dia do exame, que vai ser no dia 28 de novembro.

O candidato precisa seguir algumas exigências para ter a prova remarcada. Além de obedecer ao prazo citado acima, é preciso anexar ao pedido um documento que comprove a contaminação da doença. Todos os dados abaixo precisam ser inseridos:

publicidade

Nome completo do participante;

  • Diagnóstico com a descrição da condição que motivou a solicitação e/ou o código correspondente à Classificação Internacional de Doença (CID 10);
  • Assinatura e identificação do profissional competente, com respectivo registro do Conselho Regional de Medicina (CRM), do Ministério da Saúde (RMS) ou de órgão competente.
Participantes chegam ao centro de educação de Jovens e adultos, para o segundo dia de aplicação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem)
Quem está com Covid-19 não deve ir até o local de prova do Enem. Imagem: Antonio Cruz/Agência Brasil

Depois, o candidato precisa checar na página do participante do Enem se o documento foi ou não aprovado. Caso seja, o estudante garante a participação na reaplicação do exame, que ainda não foi definida pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira, o Inep, que é responsável pelo Enem.

São doenças consideradas infectocontagiosas pelo edital do Enem:

  • Covid-19;
  • Tuberculose;
  • Coqueluche;
  • Difteria;
  • Doença invasiva por Haemophilus influenza;
  • Doença meningocócica e outras meningites;
  • Varíola
  • Influenza humana A e B
  • Poliomielite por poliovírus selvagem;
  • Sarampo;
  • Rubéola;
  • Varicela.

Leia mais:

Neste domingo, 21, os candidatos fazem uma prova composta por 90 questões envolvendo linguagens, códigos e ciências humanas, além da redação. Pouco mais de três milhões de pessoas se inscreveram para o Enem, o que representa o menor número de participantes desde 2005.

Por questão de segurança, é obrigatório o uso de máscara durante a permanência no local de aplicação, além de ser recomendado o uso de álcool em gel para higienizar as mãos.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!