Nesta segunda-feira (22), a Nasa divulgou as últimas atualizações sobre a operação de recuperação dos instrumentos científicos do telescópio espacial Hubble, que entraram em modo de segurança no dia 25 de outubro.

Segundo a agência espacial norte-americana, a equipe conseguiu recuperar com sucesso a Wide Field Camera 3 (Câmera de Amplo Campo, em tradução literal) no domingo (21). A primeira observação científica desse instrumento, desde a anomalia, acontece nesta terça-feira (23).

publicidade

Equipamento mais usado pelo Hubble, representando mais de um terço do tempo de observação da espaçonave, esse foi o segundo instrumento escolhido pela Nasa para ser restaurado, depois de conseguir recuperar com sucesso a Câmera Avançada para Pesquisas (ACS), no dia 7 deste mês.

Telescópio Espacial Hubble em órbita da Terra
Telescópio Espacial Hubble voltou a apresentar problemas em seus cinco instrumentos científicos no fim de outubro. A equipe já conseguiu recuperar dois deles. Imagem: Nasa

Segundo a Nasa, a ACS foi reparada primeiro por ser o instrumento que enfrentaria o menor número de complicações em caso de perda de mensagens de sincronização com o resto do sistema. 

Algumas adaptações nos parâmetros da Wide Field Camera 3 foram realizadas, enquanto a equipe testava mudanças em simuladores de solo. De acordo com a Nasa, essas mudanças se fazem necessárias para possibilitar que os instrumentos tratem de várias mensagens de sincronização perdidas, continuando a operar normalmente mesmo que elas ocorram novamente no futuro. 

No entanto, essas mudanças serão aplicadas primeiro a outro instrumento, o Cosmic Origins Spectrograph (Espectrógrafo de Origens Cósmicas), para proteger seu sensível detector ultravioleta distante. A Nasa informou que a equipe levará várias semanas para concluir os testes e fazer o upload das alterações.

Embora não tenha identificado mais perdas de mensagens desde o início do monitoramento, em 1º de novembro, a agência está tomando medidas extras para manter o hardware seguro caso o problema ocorra novamente. A investigação sobre a causa das mensagens perdidas continua. 

Os demais instrumentos do Hubble ainda estão em modo de segurança, enquanto o observatório espacial continua a operar conforme o esperado.

Além da ACS, da Wide Field Camera 3 e do Espectrógrafo de Origens Cósmicas, o telescópio também conta com o Espectrógrafo de Imagem Telescópica Espacial e a Câmera Semi-infravermelha com Espectrômetro de Multiobjetos, dois instrumentos que serão atendidos em seguida.

Leia mais:

Hubble passou mais de um mês em modo seguro da última vez

Há pouco mais de quatro meses, o Hubble se manteve em modo de segurança por 33 dias. Na ocasião, chegou-se a cogitar a possibilidade de o observatório ter “morrido de vez“, o que (ainda bem) não foi o caso. O problema atual começou no dia 23 de outubro, mas a equipe da missão conseguiu reiniciar os instrumentos e retomar as operações científicas na manhã seguinte.

No entanto, horas depois, os instrumentos científicos emitiram novamente códigos de erro, indicando múltiplas perdas de mensagens de sincronização. Como resultado, eles entraram de forma autônoma em estados de modo de segurança conforme programado.

À exceção dos instrumentos científicos, o resto do observatório espacial está operando normalmente, o que indica não haver prejuízos de maiores proporções. 

Da última vez, os problemas estavam na Unidade de Controle de Energia (PCU) de backup e também na Unidade de Comando / Formatador de Dados Científicos (CU/SDF) de backup do outro lado da unidade de Instrumento Científico e de Comando e Manuseio de Dados (SI C&DH). 

Enquanto a PCU distribui energia para os componentes SI C&DH, a CU/SDF envia e formata comandos e dados.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!