Usuários do Uber em Ontário, no Canadá, poderão encomendar maconha por meio do Uber Eats. O intuito da empresa é ingressar no mercado da cannabis que está em frequente expansão no país.

Espera-se que neste ano, a venda de maconha gere US$ 4 bilhões em receita, que deve crescer para US$ 6,7 bilhões até 2026, segundo dados da empresa de pesquisa BDS Analytics.

publicidade

Leia também!

A maconha para uso recreativo é liberada no Canadá há três anos e, atualmente, o governo do país tenta organizar o mercado e os vendedores legais. No entanto, os vendedores ilegais ainda controlam a maior parte das vendas de cannabis.

Por ora, os usuários do Uber Eats poderão comprar a maconha da varejista Tokyo Smoke. Basta encomendar o pedido pelo aplicativo e retirá-lo na loja mais próxima. A empresa visa fornecer aos seus clientes cannabis de uma fonte segura, combatendo os vendedores ilegais.

Uber Eats
Uber permitirá que usuários do Canadá encomendem maconha. Créditos: Shutterstock

“Continuaremos observando as regulamentações e oportunidades de perto, mercado por mercado. E conforme as leis locais e federais evoluam, exploraremos oportunidades com comerciantes que operam em outras regiões”, relatou um porta-voz da Uber à agência de notícia Reuters quando questionado sobre uma expansão para outros mercados.

A nova inclusão do mercado de cannabis no catálogo do Uber Eats é a conclusão de uma promessa do presidente executivo da Uber, Dara Khosrowshahi. Em abril deste ano, o executivo apontou que a companhia consideraria a distribuição de maconha levando em consideração as regulamentações locais.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!