A um dia da estreia, os diretores do 60º longa de animação da Disney, ‘Encanto’, falaram sobre a construção do filme e seus personagens. Em entrevista ao ScreenRant, Byron Howard e Jared Bush, de ‘Zootopia’, e Charise Castro Smith revelaram a base para o centro da história, que partiu de observações de suas próprias famílias e experiências.

Leia mais!

publicidade

Sinopse

‘Encanto’, que estreia na quinta-feira (25) nos cinemas e 24 de dezembro no Disney+, conta a história dos Madrigal, uma família extraordinária que vive escondida nas montanhas da Colômbia, em uma casa mágica, em uma cidade vibrante, em um lugar maravilhoso conhecido como um Encanto. A magia deste Encanto abençoou todos os meninos e meninas da família com um dom único, desde superforça até o poder de curar. Todos, exceto Mirabel, que sem poderes se sente diferente do restante da família, principalmente pelas expectativas que os parentes colocam sobre o futuro da personagem.

Veja aqui o trailer!

“[A] experiência realmente difícil e traumática que ela [personagem matriarca] viveu percorreu sua família e informou muito sobre a dinâmica que está acontecendo nos dias de hoje”, disse Smith.

“Falamos com muitos especialistas – especialistas em psicologia da família – e foi algo que eles reforçaram em nós. E também, francamente, é algo que tirei um pouco da minha própria família com meus avós vindo para este país e tendo que começar de novo, e realmente pensando em como foi essa experiência para eles”, contou, se referindo também a imigração na Colômbia.

Cena do filme Encanto da Disney
Walt Disney Animation Studios’. © 2021 Disney. All Rights Reserved.

Ao ser questionado sobre os personagens Abuela Alma (a matriarca da família) Mirabel (a neta) e Bruno (o tio), Bush reforçou a observação dentro das famílias e deu créditos a Charise por ter criado tudo do zero.

“Tudo isso foi criado por Charise, que é a base de tudo, e realmente é nisso que todo o filme se baseia”, disse Jared Bush.

“Em termos dessa dinâmica entre Abuela Alma e Bruno, e da forma como todas essas coisas acontecem, acho que o que descobrimos enquanto conversávamos com nossas próprias famílias é que você tem esses momentos em uma família – certamente em uma família onde as coisas são complexas – onde você não sabe algo pelo qual alguém está passando. Você realmente não conhece todas as lutas pelas quais eles passaram e não sabe por que Abuela Alma foi tão dura com seus primeiros três filhos, e isso atingiu as gerações futuras”, explicou o diretor, ressaltando o peso e realidade de traumas geracionais.

“Aquele trauma que se espalhou de geração em geração também atingiu Mirabel… A única diferença realmente é que Mirabel é um tipo diferente de personagem; alguém que não cresceu com o mesmo tipo de expectativas, porque a única coisa que se esperava dela como não mágica, era nada.”

Encanto
‘Encanto’: filme foi baseado em experiências familiares e superação de traumas geracionais. Imagem: Disney/Divulgação

Para a diretora Smith, o momento de cura no filme era o foco do longa e o resultado não poderia ter sido melhor.

“Naquele momento de cura esse trauma transmitido entre gerações era algo que realmente nos interessava. E então Lin [Manuel Miranda] escreveu a música “Dos Oruguitas”, que é a música mais incrível e espetacularmente executada por Sebastián Yatra. Realmente tudo culminou de uma maneira linda”, acrescentou.

Howard destacou ainda que “família não é família, a menos que haja conflito “, e isso os instigou a tornar o relacionamento de competição entre as irmãs ainda mais parecido com o real e, claro, de forma divertida.

“Eu não me importo o quão legal sua família é; sempre há cabeçadas que acontecem. E não queríamos perder aqueles conflitos deliciosos, principalmente entre irmãs.”

O também diretor acrescentou revelando que “nunca tivemos uma música reggaeton em um filme da Disney”, o que adiciona mais um diferencial à produção, além de um estilo ‘fora da curva do costumeiro’ e necessário.

O Olhar Digital assistiu com exclusividade ao filme ‘Encanto’, para saber mais sobre o longa acesse a crítica, disponível aqui.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!