Ainda existem muitos mistérios em torno do vírus da Covid-19 e sua taxa de transmissão. O distanciamento, por exemplo, já foi visto como uma forma eficaz de combater a contaminação. No entanto, um estudo da Universidade Cambridge, no Reino Unido, mostra que apenas isso não é o suficiente.

O estudo publicado na revista científica Physics of Fluids indica que a transmissão pelo ar pode ultrapassar a barreira dos dois metros. Claro que, quanto maior a distância, menores as chances de contaminação. No entanto, o uso de máscaras é fundamental.

publicidade

“Pensei comigo mesmo, se esse fosse o caso, o vírus deveria deixar uma pessoa infectada e pousar na superfície ou se dispersar no ar através de um fluido processos mecânicos”, afirmou Epaminondas Mastorakos, professor do Departamento de Engenharia de Cambridge e líder da pesquisa.

Distanciamento contra Covid-19

O resultado indica que apenas o distanciamento é ineficaz para evitar a contaminação por Covid-19. A conclusão é de que uma pessoa sem máscaras que tossir pode fazer as partículas chegarem a dois metros de distância.

Leia também!

Os cientistas fizeram simulações para ver a quantidade de gotículas que atingiram uma pessoa a uma determinada distância. Não foi constatada uma mudança muito brusca na rota das partículas em uma distância de dois metros. 

Apesar de amostras grandes dificilmente superarem essa barreira, amostras menores podem ir além disso. “As pequenas gotas podem ficar suspensas no ar por um longo tempo e podem transportar os patógenos por distâncias significativamente longas, enquanto as gotas maiores seguem uma trajetória balística e tendem a se estabelecer rapidamente sob a influência da gravidade”, diz o estudo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!