Veículos e Tecnologia

Ford afirma que não lançará conversão da Super Duty 2022 para motor elétrico

26/11/21 19h41
ford super duty 2022 acelerando na estrada em um dia nublado

(Imagem: Divulgação/Ford)

A Ford comunicou hoje que a Super Duty 2022, a irmã maior e mais robusta da F-150, e outros veículos para atividade de carga pesada não receberão conversões de seus trens de força para motor elétrico. Pelo menos, por ora.

A decisão vem no que parece ser a contramão de um processo intuitivo para a fabricante norte-americana, que já recebeu 200 mil pedidos de pré-venda da Lightning — a F-150 eletrificada (e mais cara que um Cybertruck). Muitos dos compradores da picape, fãs do modelo, afirmam que este será o seu primeiro veículo elétrico, algo que, a depender da experiência, pode fazê-los mudar de uma vez por todas para o utilitário a baterias.

Versão é a picape da montadora usada para trabalhos pesados (Imagem: Divulgação/Ford)

Mas Kumar Galhotra, presidente da Ford nas Américas e nos mercados internacionais, confirmou a postura da empresa para analistas da indústria em uma reunião, segundo a Detroit Free Press.

“Neste momento, nós não temos nenhum plano de entrar nos veículos de carga pesada com baterias elétricas”, afirmou o representante da montadora.

Super Duty pode não virar elétrico por perda de reboque

Falta de potência para reboque do novo trem de força pode ser o motivo (Imagem: Divulgação/Ford)

Até o momento, a Ford não lançou nenhuma explicação dos motivos para o Super Duty, ou outros modelos de carga pesada da montadora, não receberem conversão para o motor elétrico. A manutenção da versão à combustão pode ir à contramão de planos de legislações locais, internacionais (e inclusive, da própria fabricante), já que todos se encaminham para planos de emissão zero nas próximas décadas.

No entanto, existe a especulação de que a decisão esteja ligada à perda de potência. Os trens de força atuais, como o do F-150 Lightning eletrificado, por exemplo, apresentam capacidade de reboque 30% menor do que a contraparte à combustível fóssil. Para se ter ideia, a picape elétrica chega com tração máxima de 4,53 toneladas — cerca de 1,8 toneladas a menos que o antecessor.

Em um utilitário leve, como o F-150, a diferença é significativa, porém tolerável, já que o automóvel vem com mais espaço para carga e uma proposta mais versátil. Entretanto, 30% de potência a menos para o Super Duty eletrificado é risco demais para a Ford, correspondendo a um veículo com tração de 7,7 toneladas, algo muito próximo de uma F-150 à combustão para apresentar diferencial de mercado.

Imagem: Divulgação/Ford

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Deixe sua opinião
Tags