Na última quinta-feira (25), o Ministério da Saúde divulgou uma nota técnica orientando que os 4 milhões de brasileiros que se vacinaram com a vacina da Janssen tomem uma dose de reforço no período entre dois a seis meses após a primeira aplicação.

Além disso, a recomendação do ministério é que seja utilizado a vacina do mesmo fabricante. De acordo com a nota da pasta, a orientação foi baseada em estudos científicos que demonstram um aumento significativo na imunidade depois da aplicação de mais uma dose da vacina, ainda mais em intervalo mais longo, como de seis meses. 

publicidade

O estudo pontuou que se a dose de reforço for aplicada com um intervalo de seis meses, os níveis de anticorpos aumentam nove vezes após uma semana com a imunização da Janssen. Depois, o índice segue aumentando em até 12 vezes quatro semanas depois da dose de reforço.

Anvisa recebe pedido da Janssen para uso emergencial da vacina
Imagem de destaque: Pcruciatti (Shutterstock)

A nota também citou uma pesquisa dos EUA que demonstrou que a dose de reforço ao ser aplicada com um intervalo mínimo de dois meses, fornece até 94% de proteção contra a Covid-19. Sendo que com a dose única do imunizante, o índice é de 75%. Os resultados embasaram o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) a recomendar a dose de reforço da Janssen.

Por outro lado, no caso de mulheres grávidas que se vacinaram com a Janssen, a recomendação é que a dose de reforço seja feita com a vacina da Pfizer.

Leia mais:

Fonte: Agência Brasil

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!