Calendário astronômico de dezembro tem meteoros, cometa, eclipse, James Webb e muito mais!

Eclipse

Eclipse

E chegamos ao último mês de 2021, e que mês para os fãs do espaço! Dezembro tem duas “missões turísticas” ao espaço”, uma das chuvas de meteoros mais aguardadas do ano e um cometa que promete “dar um show” no céu a partir de meados de dezembro. Teremos até um eclipse total do Sol, que, infelizmente, poderá ser visto apenas pelos poucos afortunados que estiverem na Antártica.

Veja abaixo nosso calendário astronômico de dezembro com os eventos mais importantes. Lembramos que todas as datas, horários e referências geográficas consideram um observador baseado em Brasília, e podem ser ligeiramente diferentes de acordo com sua posição no país.

Calendário astronômico de Dezembro

1º de dezembro: um foguete Falcon 9 da SpaceX colocará em órbita outro lote de aproximadamente 53 satélites Starlink. Ele irá decolar da Estação da Força Espacial dos EUA em Cabo Canaveral, na Flórida, às 20h20.

4 de dezembro: O único eclipse solar total do ano (e o último eclipse solar total até 2023) será visível da Antártica. Observadores na África do Sul, na Namíbia, no extremo sul da América do Sul e em algumas ilhas do Atlântico Sul poderão ver pelo menos um eclipse solar parcial, com a lua cobrindo parte do Sol. Infelizmente, nada será visível aqui do Brasil.

5 de dezembro: um foguete Atlas V da United Launch Alliance lançará a missão STP-3 para a Força Espacial dos EUA. Ela carregará dois satélites, e tem como objetivo “avançar nossa capacidade de guerra em áreas como a detecção de detonações nucleares, consciência do domínio espacial (SDA, Space Domain Awareness), análise climática e telecomunicações”. 

Ambas as espaçonaves serão colocadas em órbita geossíncrona. O foguete vai decolar do complexo de lançamento espacial 41 da Estação da Força Espacial dos EUA em Cabo Canaveral, na Flórida, durante uma janela de lançamento de duas horas que abre às 6h04.

Bilionário japonês Yusaku Maezawa irá visitar a ISS em dezembro. Imagem: Arquivo pessoal

6 de dezembro: conjunção entre a Lua e Vênus. Ou seja, os astros estarão “juntinhos” no céu. Vênus estará acima e um pouco à direita da Lua Crescente. Procure o par no horizonte a oeste logo após o pôr do Sol.

7 de dezembro: desta vez a conjunção é entre a Lua e Saturno, com o planeta um pouco acima e à direita de nosso satélite natural. Novamente, procure o par no horizonte a oeste logo após o pôr do Sol.

8 de dezembro: um foguete russo Soyuz lançará a missão tripulada Soyuz MS-20 rumo à Estação Espacial Internacional. A bordo estarão o cosmonauta russo Alexander Misurkin, o bilionário japonês Yusaku Maezawa e o produtor de vídeo Yozo Hirano. A decolagem acontecerá a partir do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão às 4h38 GMT.

9 de dezembro: um foguete Falcon 9 da SpaceX lançará o satélite Imaging X-ray Polarimetry Explorer (IXPE) para a NASA. Ele vai decolar do Complexo de Lançamento 39A no Centro Espacial Kennedy da NASA na Flórida, durante uma janela de lançamento de 90 minutos que abre às 03h00.

Laura Shepard Churchley, filha de Alan Shepard, 1º norte-americano no espaço, viajará em foguete que homenageia seu pai.
Imagem: Fundação Escola de Astronautas

Também em nove de dezembro a missão NS-18 da Blue Origin levará ao espaço Laura Shepard Churchley, filha de Alan Shepard, primeiro norte-americano no espaço. Ela voará em uma missão de cerca de 10 minutos a bordo do “New Shepard”, foguete da empresa que homenageia seu pai. O horário da decolagem ainda não foi informado.

12 de dezembro: um foguete russo Proton lançará dois novos satélites para a Russian Satellite Communications Company. A missão vai decolar do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão, às 9h20.

13 a 14 de dezembro: pico da chuva anual dos meteoros Geminídeos, uma das melhores do ano, que estará ativa entre os dias 4 e 17 de dezembro. Eles serão visíveis a partir das 20h46 quando seu ponto de origem aparente (radiante), a constelação de gêmeos, surge no horizonte a nordeste. Mas o melhor horário de observação será por volta das 2h, quando a constelação estiver em seu ponto mais alto no céu.

Segundo estimativa do site In the Sky, sob condições ideais (céu limpo e escuro, longe da poluição luminosa das cidades) poderão ser vistos até 79 meteoros por hora. Entretanto a Lua, que estará 78% iluminada, pode atrapalhar significativamente a visualização dos mais fracos.

Leia mais:

15 de dezembro: o cometa C/2021 A1, ou cometa “Leonard“, deve começar a ser visível no Brasil, sempre na direção oeste, logo após o pôr do sol. Mas segundo nosso colaborador e astrônomo Marcelo Zurita, dependendo da posição do observador e do brilho do cometa ele pode ser visto antes disso.

19 de dezembro: um foguete Falcon 9 da SpaceX lançará o satélite de comunicações Turksat 5B de Cabo Canaveral, Flórida, durante uma janela de lançamento de 90 minutos que abre às 00h58.

20 de dezembro: lançamento de um foguete russo Angara-A5 em seu terceiro vôo de teste orbital, partindo do cosmódromo de Plesetsk, na Rússia.

Imagem do Cometa C/2021 A1 Leonard feito pelo Telescópio de 1 metro do Observatório Mount Lemmon mostra o núcleo aparentemente íntegro, mas a coma em formato incomum. Créditos: Catalina Sky Survey/K. Wierzchos

21 de dezembro: Um solstício ocorre às 12h59 GMT, marcando o primeiro dia do verão no hemisfério sul e o começo do inverno no hemisfério norte.

Também em 21 de dezembro um foguete Falcon 9 da SpaceX lançará a missão de carga CRS-24 para reabastecimento da Estação Espacial Internacional. Ele vai decolar do Complexo de Lançamento 39A no Kennedy Space Center da NASA, na Flórida, às 7h06.

No mesmo dia, um foguete japonês H-2A lançará os satélites de comunicações Inmarsat 6 F1 do Centro Espacial Tanegashima no Japão, durante uma janela de lançamento de duas horas que abre às 11h33.

22 de dezembro: neste dia ocorre o tão aguardado lançamento do telescópio espacial James Webb, da Nasa. Ele decolará a partir do Centro Espacial da Guiana em Kourou, na Guiana Francesa, às 9h20 a bordo de um foguete europeu Ariane 5 da Arianespace. Saiba mais sobre ele neste nosso artigo especial.

27 de dezembro: Um foguete russo Soyuz lançará 34 satélites em órbita para a constelação de internet OneWeb. A missão, chamada OneWeb 12, vai decolar do Cosmódromo de Baikonur, no Cazaquistão.

Como se orientar

Para acompanhar nosso calendário astronômico, é importante saber em que direção olhar e como identificar os principais pontos cardeais. Para isso, você pode usar um velho truque, uma bússola ou um app de astronomia em seu celular.

O velho truque é baseado numa frase que você deve ter aprendido na escola: “o sol nasce a leste e se põe a oeste”. Fique em pé e estique os braços, com o direito apontando para o nascente, e o esquerdo para o poente. Então você terá o leste à direita, o norte à frente, o oeste à esquerda e sul atrás de você.

Quanto às bússolas, quem usa um iPhone não precisa de um app extra: basta usar o “Bússola”, que é parte do iOS. Para Android minha recomendação é o “Apenas uma bússola”, da PixelProse SARL, que é bonito, simples, gratuito e, mais importante, sem anúncios.

O SkySafari usa bússola e GPS para identificar as estrelas para as quais o celular está apontando. Imagem: Simulation Curriculum

Outra opção é usar um app de astronomia, que usa a bússola do celular e sua localização obtida via GPS identificar o que você está apontando ou indicar para onde olhar. Uma boa opção é o Sky Safari, da Simulation Curriculum Corp., que está disponível em versões para Android e iOS e pode ser usado gratuitamente. 

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!