O prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD-RJ), anunciou neste sábado (4), por meio de sua conta no Twitter, que vai cancelar a comemoração do réveillon na cidade. Paes disse que a medida foi tomada em conjunto com o comitê científico do estado como uma forma de prevenir a população frente à pandemia de Covid-19. No dia 1º, a capital fluminense teve a ocorrência do primeiro caso suspeito da variante ômicron.

“Respeitamos a ciência”, resumiu. “Como são opiniões divergentes entre comitês científicos, vamos sempre ficar com a mais restritiva. O comitê da prefeitura diz que pode. O do Estado diz que não. Então não pode. Vamos cancelar dessa forma a celebração oficial do réveillon do Rio.”

publicidade

Paes também explicou que a decisão foi tomada “com muita tristeza” e que não havia condições de organizar uma festa sem a garantia completa das autoridades sanitárias. “Infelizmente não temos como organizar uma festa dessa dimensão, em que temos muitos gastos e logística envolvidos, sem o mínimo tempo de preparação”, justificou. “Se é esse o comando do estado (não era isso o que vinha me dizendo o governador), vamos acatar.”

Conflito com governo fluminense

O tom na última frase de Paes manifesta o recente clima de divergência entre o governo do Rio de Janeiro e a prefeitura sobre a realização do réveillon. Durante a semana, enquanto o secretário municipal de saúde do RJ, Daniel Soranz, falou publicamente sobre a possibilidade da comemoração, diante de um cenário epidemiológico “favorável”, o governo chefiado por Cláudio Castro (PL) defendia a suspensão.

Com o cancelamento, o Rio de Janeiro se une a outras 18 capitais que decidiram por suspender o réveillon. Além do Distrito Federal, são elas: São Paulo, Salvador, São Luís, Porto Alegre, Macapá, Belém, Florianópolis, Natal, Recife, Fortaleza, Teresina, Aracaju, João Pessoa, Cuiabá, Campo Grande, Vitória, Maceió e Palmas.

Via UOL

Imagem: Stefano Aguiar/Shutterstock

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!