A Stellantis, empresa dona de marcas como Alfa Romeo, Citroen, Fiat, Jeep e Peugeot, anunciou que vai investir mais de € 30 bilhões (um pouco mais de R$ 190 bilhões) em software e eletrificação até 2025. Um de seus objetivos principais é gerar € 20 bilhões (quase R$ 127 bilhões) em receitas de produtos habilitados para software e assinaturas em 2030, à medida que se prepara para uma nova era de atualizações aéreas e inteligência artificial (IA).

No curto prazo, já em 2024, a maioria de todos os novos veículos da Stellantis serão totalmente atualizáveis ​​pelo ar (over-the-air – OTA). Hoje, a empresa possui 12 milhões de carros conectados monetizáveis ​​globalmente.

publicidade

Em 2026, esse número deve crescer para 26 milhões de veículos e gerar € 4 bilhões em receitas (cerca de R$ 25 bilhões). Em 2030, a empresa deve alcançar 34 milhões de veículos pelo planeta, resultando nos € 20 bilhões em receitas anuais.

A Stellantis identificou cinco áreas nas quais pretende expandir seus negócios de software e serviços conectados. São elas: de serviços e assinaturas; recursos sob demanda; dados como serviço e serviços de frota; preços de veículos e valor de revenda e conquistas; e retenção de serviço e venda cruzada.

Novas plataformas com inteligência artificial a partir de 2024

Três novas plataformas de tecnologia alimentadas por inteligência artificial (IA) foram anunciadas pela Stellantis e serão implementadas em escala em suas quatro plataformas de veículos elétricos. O propósito é alavancar a velocidade e a agilidade associadas ao desacoplamento dos ciclos de hardware e software, com a implementação começando a partir de 2024.

tabela informativa sobre a implementação das novas plataformas da Stellantis
Imagem: Divulgação/Stellantis

A STLA Brain é altamente flexível e capaz de atualização OTA, com 30 módulos endereçados. Trata-se de uma arquitetura orientada a serviços totalmente integrada com a nuvem, que conecta unidades de controle eletrônico dentro do veículo com o computador central de alto desempenho (HPC) por meio de um barramento de dados de alta velocidade.

A plataforma permite que os desenvolvedores de software criem e atualizem recursos e serviços rapidamente, sem esperar pelo lançamento de um novo hardware. Além disso, ela simplifica a manutenção para o usuário.

A plataforma STLA SmartCockpit é construída sobre a STLA Brain e cria um terceiro espaço habitável personalizável dentro do veículo. Ela está sendo desenvolvida pela joint venture Mobile Drive, parceria da Stellantis com a Foxconn e oferece aplicativos baseados em IA, como navegação, assistência de voz, mercado de comércio eletrônico e serviços de pagamento.

Desenvolvida em parceria com a BMW, a plataforma STLA AutoDrive oferecerá recursos de direção autônoma de Nível 2, Nível 2+ e Nível 3 e será continuamente atualizado por meio de atualizações OTA.

Chips e treinamentos

Com a Foxconn, a Stellantis também formou uma parceria com o objetivo de projetar novos semicondutores flexíveis para seus clientes e terceiros. Quatro famílias de chips devem estar nos veículos da empresa até 2024. A parceria será importante em um cenário de escassez global de semicondutores pois, de alguma forma, pode servir de salvaguarda para a Stellantis junto a problemas semelhantes futuramente.

A empresa também está criando uma academia de software e dados dedicada para capacitar mais de mil engenheiros internos em várias funções, além de desenvolver sua própria comunidade de software. A meta é alcançar 4.500 engenheiros de software até 2024, não incluindo parcerias, voltados para a eficiência, em todo o mundo.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal.