Medicina e Saúde

‘Roubar’ sangue de pessoas mais jovens pode torná-lo mais jovem; entenda

08/12/21 23h28, atualizada em 08/12/21 23h30
Imagem mostra três ampolas para teste sanguíneo, uma ao lado das outras

Crédito: Shutterstock

Um grupo de pesquisadores descobriu uma série de evidências de algo bastante curioso que pode ser uma verdadeira “fonte da juventude”. De acordo com os novos dados, ter o sangue de alguém mais jovem correndo nas veias pode ajudar as pessoas a permanecerem jovens.

Em um novo estudo, publicado na revista Nature Aging, a equipe revelou que partículas presentes no sangue de camundongos, conhecidas como vesículas extracelulares (VEs), podem enviar instruções para uma proteína chamada “Klotho”, que está ligada à longevidade, para células musculares.

Nos ratos, à medida que eles envelhecem, as VEs ficam mais fracas e, como resultado disso, enviam menos instruções para a proteína Klotho. Contudo, os camundongos mais velhos que receberam transfusões de sangue de um rato mais jovem, tiveram alguns processos de envelhecimento rapidamente revertidos.

As vesículas extracelulares

Camundongos que receberam sangue de ratos mais novos tiveram alguns processos de envelhecimento revertidos. Crédito: Arquivo/Shutterstock

Entre esses processos, estava a regeneração muscular, que era aumentada, porém, quando os VEs do rato mais jovem foram removidos, esse efeito simplesmente desapareceu. Isso é algo parecido com o que acontece com os vampiros, que, na lenda, usam o sangue para se manterem vivos e imortais.

Apesar de os resultados serem bastante curiosos e, por que não, animadores, ainda não está muito claro se esse efeito pode ou não ser traduzido para humanos. Porém, pode ser que os pesquisadores sequer cheguem nessa resposta no futuro.

Sem avanços possíveis?

A equipe espera que a pesquisa possa levar a novos tratamentos anti-idade durante o processo de envelhecimento em humanos. Contudo, os testes em humanos estão sendo duramente criticados por serem bastante inconclusivos.

“De certa forma, isso nos ajuda a entender a biologia básica de como funciona a regeneração muscular e como ela deixa de funcionar à medida que envelhecemos”, declarou a professora associada da Universidade de Pittsburgh e autora principal do estudo, Fabrisia Ambrosio.

Leia mais:

Em uma outra pesquisa, os cientistas descobriram que o sangue de um rato mais jovem pode ajudar a impulsionar o desempenho cognitivo de ratos mais velhos. Em teoria, isso significa que os tratamentos com base em VE podem ajudar a desacelerar ou prevenir o declínio cognitivo.

Via: Futurism

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!

Deixe sua opinião
Tags