O Snapdragon 8 Gen 1 foi lançado faz pouco tempo e o primeiro smartphone já anunciado com este chip é o Moto Edge X30. Ele traz um corpo em alumínio para servir como bom dissipador do calor, que parece ser um problema presente nesta geração de SoC da Qualcomm.

A Motorola não comentou quanto seu novo celular esquenta com o chip de 4 nanômetros da Qualcomm, mas um vazamento de informações feito pelo já conhecido Ice Universe aponta para este problema térmico com o Snapdragon 8 Gen 1. Este detalhe pode reacender um dilema vivido recentemente pela própria marca de processadores, quando enfrentou aparelhos de cabeça quente com o Snapdragon 820.

publicidade

Leia também

Moto Edge X30 (Imagem: divulgação/Motorola)
Moto Edge X30 com Snapdragon 8 Gen 1 (Imagem: divulgação/Motorola)

“Nos aparelhos da Motorola, testes extremos com o Snapdragon 8 Gen 1 são muito quentes. Esteja mentalmente preparado, pois 2022 poderá ser um ano “QUEEENTE” para smartphones Android,” diz o usuário em sua conta no Twitter. O que chama mais atenção não é exatamente a menção aos dispositivos da Motorola, mas sim a segunda parte da publicação.

publicidade

Problema térmico pode afetar outras marcas

Se for verdadeira, a alegação deve ser uma pedra no sapato para qualquer empresa que escolhe a Qualcomm como fornecedora de seu chip, com o Snapdragon 8 Gen 1. O novo SoC é mais potente, consome menos energia e tem litografia menor, quando comparado com a geração anterior. Ele tem outro ponto que pode dar indícios de problemas térmicos: a capacidade de gravar em 8K com HDR.

Sempre que um avanço em resolução chega para câmeras de smartphones, o aquecimento exagerado de todo o conjunto tende a aparecer como consequência. Em alguns casos crônicos, como em celulares da Sony, o app de câmera permitia apenas poucos minutos de vídeo para que o dispositivo pudesse ser resfriado logo depois.

publicidade

Uso extremo do Snapdragon 8 Gen 1 pode ser comum

O alerta do usuário Ice Universe aponta para uso extremo, que deve estar presente em poucos usuários durante a maior parte do tempo. Por outro lado, um jogo rodando por longos minutos pode ser considerado um “uso extremo”, já que neste momento o chip Snapdragon 8 Gen 1 é exigido em sua capacidade máxima e com alto consumo de carga.

Outro problema para o celular lidar com calor é a falta de sistemas eficientes para resfriamento. Como os aparelhos estão cada vez mais finos, é praticamente impossível expulsar o calor, mas o material escolhido pelo Moto Edge X30 pode ajudar nesta tarefa.

publicidade

Via: Gizmochina.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!