Dois banhistas foram surpreendidos em Laguna Beach, no estado americano da Califórnia, quando praticavam uma sessão de stand up paddle e receberam a visita de um peixe gigantesco conhecido como “peixe-lua”, que ficou curioso pela locomoção dos dois aventureiros e passou cerca de meia hora com eles antes de mergulhar de volta ao fundo do mar.

O peixe exibido na foto abaixo não ficou tempo suficiente para que suas medidas fossem tiradas com exatidão, mas a espécie é uma das duas mais pesadas dos mares (excluindo, claro, baleias, que não são peixes), chegando a até duas toneladas (2.000 kg). E a outra espécie “peso-pesado” é…o peixe-lua do sul (sim, é sério: um outro tipo de peixe-lua).

publicidade

Leia também

Um peixe-lua faz uma visita a um banhista em praia na Flórida: espécie de peixe gigantesco pode chegar a duas toneladas
Um peixe-lua faz uma visita a um banhista em praia na Califórnia: espécie de peixe gigantesco pode chegar a duas toneladas (Imagem: Rich German/Reprodução)

Considere que, presumindo que a prancha esteja dentro dos padrões normais de fabricação, ela tem mais ou menos três metros (3 m) de comprimento. Apenas pela percepção dos olhos humanos, é possível notar que o peixe na imagem acima é, como diz a expressão popular brasileira, “uma ignorância” de tamanho.

O encontro aconteceu em 2 de dezembro, de acordo com Rich German, um dos dois homens na ocasião. German, que é fundador do “Projeto O” – uma iniciativa que busca proteger, restaurar e manter a saúde dos oceanos, disse que o peixe gigantesco era “muito legal e único”.

Segundo ele conta, quando partiu da praia com seu amigo Matt Wheaton – o homem visto na foto acima -, eles esperavam encontrar golfinhos. Entretanto, isso mudou quando eles navegaram cerca de 180 m para longe da costa, quando deram de cara com o peixe-lua.

“Eu já havia visto esse tipo de animal muitas vezes, então já sabia do que se tratava”, disse German, “mas normalmente eles estão bem mais afastados da praia e não são tão grandes assim”.

Um peixe-lua faz uma visita a um banhista em praia na Flórida: espécie de peixe gigantesco pode chegar a duas toneladas
Visita do peixe-lua durou cerca de 30 minutos antes que o animal voltasse para o fundo do oceano: espécie é considerada vulnerável por entidades de preservação ambiental (Imagem: Rich German/Reprodução)

O peixe-lua é comumente encontrado em águas tropicais – típicas regiões com alto volume turístico – e, apesar de seu tamanho descomunal e sua predileção por alimentação carnívora, eles são extremamente dóceis e curiosos. Pelo YouTube, a mera busca pelo seu nome resulta em várias interações com mergulhadores, dada a curiosidade do animal.

Entretanto, seu tamanho é um problema para barqueiros em geral – mais até do que para mergulhadores: apesar de imenso, esse peixe gigantesco é capaz de saltar para fora da água em grande velocidade, e ocasionalmente cai em barcos ou então lhes dá algumas “trombadas”, causando danos a cascos e turbinas.

Na cadeia alimentar dos mares, os peixes-lua são presas para leões marinhos, baleias assassinas (orcas) e variados tipos de tubarões, mas infelizmente, é a mão humana que vem influenciando negativamente a sua espécie: a pesca predatória pouco regulamentada, junto de pesca ilegal para fins de cativeiro, são responsáveis pelos seus números cada vez menores.

Também é problemático o fato de, pelo seu tamanho, o peixe-lua ser um “dano colateral” na pesca de outros tipos de vida marítima. Em outras palavras, quando pescadores estão nos mares buscando outros peixes, as suas redes de captura acabam prendendo peixes-lua por engano.

Felizmente, o encontro acima ocorreu em uma área protegida pelo estado. Na área, banhistas podem nadar, mas não pescar. “O ‘meninão’ estava seguro ali”, disse German.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!