Satélites operados pela Maxar Technologies e pela Planet Labs capturaram imagens dos tornados que assolaram vários estados dos EUA entre sexta-feira (10) e domingo (12), deixando entre 70 e 80 mortos na rota de destruição.

Os ventos atravessaram os estados de Illinois, Arkansas, Kentucky, Tennessee, Mississipi e Missouri, incluindo – no caso de Illinois -, a destruição de um galpão de embalagem de encomendas da Amazon onde, segundo informações confirmadas pela mídia local, cerca de 100 funcionários ficaram presos, enquanto outros seis morreram.

publicidade

Leia também

No tuíte da Maxar Technologies, reproduzido acima, a legenda menciona as duas imagens – uma de antes, outra de depois da passagem de um dos tornados. É possível notar, na segunda foto, que pelo menos metade da estrutura foi totalmente varrida, deixando apenas alguns tijolos e destroços espalhados.

O incidente gerou críticas à Amazon e ao seu fundador e ex-CEO, Jeff Bezos, que tem por política proibir o uso de smartphones durante o trabalho por funcionários de seus galpões.

Imagem via satélites mostra extensão de danos causados pela passagem de tornados no Kentucky: uma fábrica de velas foi completamente varrida de sua fundação
Imagem via satélites mostra extensão de danos causados pela passagem de tornados no Kentucky: uma fábrica de velas foi completamente varrida de sua fundação (Imagem: Planet Labs/Divulgação)

Em outra foto, a Planet Labs mostrou o rastro de destruição deixado em Samburg, Tennessee; e Mayfield, Kentucky. Neste último, uma fábrica de velas foi atingida de frente pelos ventos às 21h30 de sexta-feira no horário local (1h30 de sábado, no horário de Brasília). Cerca de 110 pessoas trabalhavam na fábrica quando o tornado a atingiu – pelo menos oito mortes foram confirmadas.

No Kentucky, até a manhã de segunda-feira (13), autoridades locais há haviam confirmado 74 mortes, mas oficiais ligados ao governo municipal reconheceram que esse número deve aumentar nos próximos dias. No Tennessee, o jornal New York Times cita fontes locais que contabilizaram “pelo menos” quatro mortos.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!