Novos testes de desempenho revelam que o Macbook Pro equipado com o processador Apple M1 Max pode renderizar vídeos de alta definição até três vezes mais rápido que o MacBook Pro de 2019.

De acordo com o portal 9to5Mac, o poder de fogo dos novos processadores da Apple é surpreendente quando relacionado as versões baseadas em modelos antigos da Intel.  Segundo os testes, para alcançar o mesmo desempenho do MacBook Pro de 2021, um modelo de 2019 precisaria de duas GPUS, além de um processador Intel Xeon W de 28 núcleos.

publicidade

A diferença no poder do hardware se justifica pela composição do M1 Max que inclui dois codificadores e decodificadores ProRes cada, superando de longe o único decodificador encontrado na placa Afterburner do MacBook Pro de 2019. Os testes ainda revelam que o MacBook Pro com M1 Max também é superior na reprodução de conteúdo 8K multi-stream.

Em média, um MacBook Pro de 2019 leva em torno de 233 segundos para a renderização de um vídeo de cinco minutos em formato ProRes 422 HQ, enquanto o MacBook Pro de 2021 com processador M1 Max levou apenas 76 segundos para executar a mesma renderização.

Leia mais:

Formato ProRes

O Apple ProRes é um formato proprietário de vídeos da Apple capaz de registros de imagem com baixíssima compressão e sem perda de dados. Ele é utilizado para pós-produção digital e suporta renderizações em até 8k, sendo m dos principais diferenciais da câmera dos iPhones mais recentes.

Apple M1

Os processadores Apple M1, M1 Pro e M1 Max são os chips proprietários da Apple baseados na arquitetura ARM. Diferente de processadores baseados no modelo X86, estes modelos têm destaque para o desempenho ao unificar um sistema de processamento de vídeo, CPU e outros recursos em um único componente.

Graças ao seu desempenho e tamanho, esta arquitetura se tornou o padrão da indústria de tablets e smartphones, mas acabou sendo transportada para os computadores de mesa pela Apple.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!