Um homem morreu no último domingo (12) de Covid-19 após ter sido tratado com ivermectina na Pensilvânia, nos Estados Unidos. A esposa de Keith Smith conseguiu na Justiça o direito de tratar o marido utilizando o medicamento. No entanto, enquanto recebia doses do remédio ele piorou drasticamente.

Após a piora, a equipe médica chegou a interromper o uso da Ivermectina. No entanto, já era tarde demais e o homem faleceu. Ele testou positivo no dia 10 de novembro e 11 dias depois foi internado em uma UTI, de onde não saiu mais.

publicidade

O uso da Ivermectina foi proibido nos Estados Unidos, após o medicamento não ter tido sua eficácia comprovada em estudos.  No entanto, Darla Smith, esposa de Keith, entrou na Justiça para tentar assegurar o direito do marido de fazer o tratamento com o medicamento. Ela ganhou a ação. 

O tribunal de York entendeu que o hospital não poderia ser obrigado a aplicar o medicamento no homem. Apesar disso, concedeu o direito da mulher aplicar o remédio no marido com um médico independente, o que foi feito.

Ivermectina não funciona contra a Covid-19

A droga passou a criar esperanças em relação à Covid-19 por conta de um estudo feito em abril de 2020 na Austrália. Os resultados, apesar de amplamente divulgados, traziam dúvidas sobre a real eficácia do medicamento. A concentração de ivermectina que eles testaram era de 20 a 2.000 vezes maior do que as dosagens padrão usadas para tratar infecções parasitárias em humanos e essa alta quantidade passou a ser nociva para o corpo humano.

Após a publicação do artigo, foram feitos dois grandes ensaios clínicos que não mostraram nenhum benefício significativo no uso da droga contra o Coronavírus. Após isso, a Organização Mundial da Saúde, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC), a Food and Drug Administration (FDA) e as principais agências de saúde do mundo notificaram sobre os riscos desse remédio contra o coronavírus.

Apesar das evidências, desinformação e fake news fizeram com que o remédio continuasse a ser usado de forma indiscriminada. Isso fez com que duas mortes relacionadas à overdose de Ivermectina fossem relatadas apenas em setembro de 2021.

Leia mais:

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!