Autoridades chinesas impuseram um novo lockdown em parte do país. Ao todo, mais de 13 milhões de habitantes da cidade de Xian, na província de Shaanxi, foram confinados novamente para conter um novo surto de Covid-19 que tem atingido o município nos últimos dias.

As restrições foram impostas após a cidade de Xian registrar 53 dos 57 novos casos de Covid-19 da China nesta quarta-feira (22). Ao todo, o município teve 143 casos desde o último dia 9 de dezembro, o que tornou a cidade o epicentro da doença dentro do país.

publicidade

Como serão as restrições

Pessoas usando máscaras faciais na cidade de Chengdu, na China, no início da pandemia de Covid-19, em janeiro
Circulação de pessoas só será permitida para o exercício de atividades essenciais. Imagem: Ihor Sulyatytskyy/Shutterstock

Como parte das restrições, a partir da meia-noite desta quinta-feira (23), no horário local, só será permitido que um morador de cada residência saia de casa a cada dois dias. As saídas deverão ser para a compra de itens de necessidade básica, como alimentos, artigos de higiene e medicamentos.

Em postagem na rede social Weibo, que é uma espécie de Twitter da China, a prefeitura de Xian informou que os demais moradores deverão permanecer em casa, a não ser em casos de emergência. Todos que precisarem sair para algo fora das regras deverão pedir por um certificado de “circunstâncias especiais”.

Para dificultar a locomoção dentro da cidade, as linhas de ônibus de longa distância já foram paralisadas e postos de testagem foram instalados em bloqueios nas rodovias que saem do município. Além disso, mais de 85% dos voos com chegadas e partidas para Xian foram cancelados.

O que funciona

Todas as escolas, comércios e serviços públicos não essenciais receberam ordens de fechamento. Apenas supermercados, lojas de conveniência, farmácias e instituições médicas, como clínicas e hospitais, poderão continuar abertas.

Leia mais:

A China está em alerta máximo por conta do surgimento de novos surtos locais de Covid-19 que já atingiram diversas cidades do país. Atualmente, a capital do país, Pequim, se prepara para receber os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, que estão previstos para acontecer entre os dias 4 e 20 de fevereiro.

Além da Covid-19, a cidade de Xian também tem sofrido com uma espécie de febre hemorrágica potencialmente mortal. Esta doença é transmitida por roedores e, de acordo com as autoridades, é relativamente comum no norte da China, porém, é evitável através de vacinação.

Via: G1

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!