Lançado às 9h21 (pelo horário de Brasília) do último sábado (25), do espaçoporto europeu em Kourou, na Guiana Francesa, o telescópio espacial James Webb precisou fazer uma manobra crucial em sua jornada de um mês rumo ao ponto de destino no espaço. 

Isso aconteceu apenas 12 horas depois da decolagem, enquanto o observatório executava uma queima do propulsor de 65 minutos que terminou às 22h55, de acordo com um comunicado da Nasa.

publicidade

Leia mais:

Rumo a uma distância de 1,6 milhão de km da Terra, no lado oposto ao Sol, ele se posicionará na região conhecida como “Segundo Ponto de Lagrange”, também chamado de Lagrange 2 (ou, simplesmente, L2).

publicidade

De acordo com o site Space, a espaçonave cobriu os primeiros 10% dessa viagem em 12 horas, momento em que estava a cerca de 160 mil km da Terra, quando executou uma queima crucial para garantir que chegaria com segurança ao seu destino.

De acordo com a Nasa, essa manobra, apelidada de “queimadura de correção de meio-curso 1a” (MCC1a), foi a mais importante das três que a espaçonave fará no caminho para L2, e a única que precisou ser cronometrada com cuidado.

publicidade
Telescópio espacial James Webb precisou fazer manobra de ajuste de trajetória, já prevista anteriormente. Imagem: edobric – Shutterstock

Ajuste de trajetória é comum

Ainda segundo a agência espacial norte-americana, uma espaçonave frequentemente precisa realizar uma manobra de ajuste de trajetória nas primeiras horas após o lançamento para compensar pequenas diferenças em onde seu foguete deposita o maquinário. 

No entanto, essa queima de Webb incluiu uma restrição crucial: a espaçonave não poderia diminuir a velocidade porque fazer isso exigiria dar meia volta, expondo seus instrumentos super-sensíveis ao calor ao Sol.

publicidade

Em vez disso, o observatório só pode aumentar sua velocidade, então, a sequência de lançamento foi projetada para “errar” na lateral do foguete Ariane 5, fornecendo apenas um pouco menos de energia do que o necessário. Assim, a queima MCC1a foi a oportunidade do telescópio para afinar sua trajetória em direção a L2.

Também durante a primeira etapa da viagem de James Webb, o presidente dos EUA, Joe Biden, parabenizou as equipes por trás do telescópio por seu trabalho. “Parabéns Nasa e todos os que tornaram possível o lançamento de hoje do telescópio James Webb”, escreveu Biden no Twitter na noite de sábado. “Webb é um exemplo brilhante do poder do que podemos realizar quando sonhamos grande. Sempre soubemos que este projeto seria um empreendimento arriscado, mas com grandes riscos vêm grandes recompensas”.

Veja as próximas etapas de implantação do telescópio espacial James Webb

Com a queima do MCC1a concluída, o observatório executou com êxito os dois únicos procedimentos que exigiam um tempo específico. A partir de agora, as etapas de implantação serão executadas de maneira mais flexível.

Neste domingo (26), aconteceu o marco seguinte na jornada de um mês do telescópio espacial James Webb (26), de acordo com a linha do tempo da Nasa, quando a espaçonave realizou a implantação da montagem do conjunto de Antena Gimbaled (GAA), que contém sua antena de alta velocidade. 

Essa antena será voltada para sua posição estacionada e apontada na direção da Terra. Esta é uma implantação ‘automática’, assim como a do painel solar que a precedeu. Todas as outras implantações serão controladas por comandos do solo.

Três dias após o lançamento, o palete contendo o enorme protetor solar de Webb – uma estrutura de cinco camadas projetada para manter o telescópio infravermelho e seus instrumentos resfriados – será baixado.

Cada uma das cinco folhas do escudo tem aproximadamente o tamanho de uma quadra de tênis quando totalmente estendida, muito larga para caber dentro da carenagem de qualquer foguete em operação atualmente. Portanto, o protetor solar, que foi lançado em uma configuração compacta, será desenrolado nesse momento.

Este é um processo incrivelmente complexo. Segundo a Nasa, a estrutura do protetor solar tem 140 mecanismos de liberação, 70 conjuntos de dobradiça, 400 polias, 90 cabos e oito motores de implantação, todos os quais têm que funcionar corretamente para as cinco camadas se posicionarem conforme planejado.

A capa protetora sairá do protetor solar cinco dias após o lançamento, e suas barreiras se estenderão um dia depois. A implantação do protetor solar deve ser concluída oito dias após a decolagem, quando os membros da equipe começarão a mudar seu foco para a ótica. 

Cerca de 10 dias após o lançamento, Webb deverá estender seu espelho secundário de 0,74 metros de altura, que tem esse nome porque é a segunda superfície que os fótons do espaço profundo atingirão em seu caminho para os instrumentos do osciloscópio.

Então, será a hora do espelho principal de James Webb de 6,5 m brilhar. Composto por 18 segmentos hexagonais, o espelho foi lançado dobrado, assim como o protetor solar. Depois de dois a três dias desse processo, as duas “asas” laterais do espelho se estenderão e travarão no lugar, dando à superfície seu tamanho real.

Nesse ponto, o observatório estará em sua configuração final, chegando ao seu destino um pouco mais de duas semanas depois, quando conduzirá outra queima do motor para entrar em órbita ao redor de L2, onde terá início um conjunto diferente de procedimentos de aceleração.

Veja uma animação da Nasa com todas as etapas de implantação do telescópio:

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!