Veículos e Tecnologia

Primeiro voo do eVTOL ultrassilencioso da Archer; assista

Por Ronnie Mancuzo, editado por Layse Ventura
27/12/21 16h14, atualizada em 27/12/21 16h50
Maker, o eVTOL ultrassilencioso da Archer

Apresentado no início deste ano, o novo veículo elétrico de decolagem e pouso vertical (eVTOL) da Archer Aviation completou seu primeiro voo ultrassilencioso pairado. O teste bem-sucedido do denominado Maker vai servir para a empresa com sede no estado norte-americano da Califórnia avançar ainda mais para colocar sua aeronave no ar de forma oficial.

A Archer equipou seu eVTOL com 12 rotores, e eis o motivo para existir uma aeronave tão silenciosa. Os rotores foram configurados para girar mais devagar quando comparados às grandes pás que vemos nos helicópteros comuns.

Leia mais:

Por que ultrassilencioso

Imagem: Divulgação/Archer Aviation

São seis “hélices de elevação” dedicadas que permitem que a aeronave suba, flutue e desça, e outras seis “hélices de inclinação”, que fornecem sustentação durante a flutuação e empuxo horizontal durante o voo para a frente. Durante este voo para a frente, as seis hélices inclinadas giram em eixos que estão alinhados com o fluxo de ar que se aproxima, em vez de estarem alinhados na direção do fluxo (ou seja, como um helicóptero).

Isso significa que os rotores não irão gerar o som semelhante de “wop-wop” (comum em modelos aéreos que possuem pás). O ruído produzido pelo Maker ao atingir o solo, segundo a Archer, deverá medir cerca de 45 decibéis A (dBA), quase 1 mil vezes mais silencioso do que o de um helicóptero. (Obs.: em uma unidade de medida padrão, 30 é três vezes mais do que 10. Na medição logarítmica do som, 30 dB é 1.000 vezes – ou três ordens de magnitude – mais poderoso do que 10 dB).

Imagem: Divulgação/Archer Aviation

Outro ponto interessante em design específico permite ao Maker ser alimentado por seis baterias individuais. Isso significa que se um ou dois motores morrerem, o eVTOL poderá continuar voando.

O protótipo pode acomodar dois passageiros e tem espaço suficiente para bagagem extra. Os planos para a aeronave incluem o alcance de 610 metros de altura e uma velocidade máxima de 340 km/h. Projetado para voos entre cidades, o táxi aéreo deverá abranger distâncias entre 32 km e 64 km. As estimativas são de cerca de 40 viagens do eVTOL sendo feitas por dia.

Evolução rápida do eVTOL

A Archer tem trabalhado na integração do Maker e em testes de solo nos últimos dois meses, a fim de prepará-lo para um voo pairado bem-sucedido e garantir que atenda aos critérios de certificação de aeronavegabilidade da Administração Federal de Aviação (FAA) do governo dos Estados Unidos.

O voo pairado é aquele em que a aeronave está em repouso em relação à massa de ar, ou seja, a velocidade do vento em relação ao multirrotor é nula. O voo do Maker consistiu no eVTOL acelerando do solo e pairando no local antes de retornar ao solo com segurança. Confira:

A equipe de profissionais da empresa evoluiu muito rapidamente com o desenvolvimento da aeronave. Após a revelação do protótipo, a Archer conseguiu colocar o Maker no céu em apenas seis meses. Os próximos “passos” do eVTOL buscarão alcançar alturas maiores e realizar um voo para a frente.

Feito isso, a empresa pretende lançar o táxi aéreo em versão de produção já em 2023, com os serviços começando em 2024. Será um eVTOL pilotado, que terá mais espaço interno e poderá transportar até quatro passageiros. Voos autônomos também estão nos planos da Archer e, no futuro, a empresa deverá fornecer uma rede completa para eVTOLs. Isso incluirá muitos pontos de decolagem e pouso nas cidades.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal.

Deixe sua opinião
Tags