Aparecendo pela primeira vez em 1964, o Ford Mustang tem 57 anos de estrada. E, segundo o levantado pela própria empresa, parece estar começando a mostrar a idade.

O executivo de marketing da Ford, Jim Owens falou do desafio de levar a tradição às gerações mais jovens ao Muscle Cars & Trucks. A situação já havia sido mencionada por ele em maio passado: sem mostrar números, ele falou que o público consumidor estava ficando mais velho e isso podia se tornar um problema. Ao mesmo tempo, acreditava que o elétrico Mach-E poderia ser um antídoto.

publicidade

Não que os números sejam ruins: o Ford Mustang, nas atuais versões Mach 1 e Mach-E, possivelmente deve terminar 2021 como o esportivo mais vendido do mundo. Se isso se confirmar, será o terceiro ano consecutivo. Mas a pior coisa que pode acontecer com um veículo com nome de cavalo selvagem, que quer se manter como símbolo de vitalidade, é acabar virando sinônimo de crise de meia-idade.

A solução da Ford para o Mustang

Segundo Owens, há uma questão com muscle cars em geral. “O segmento encolheu nos últimos danos”, afirmou às MC&T. “Há muito menos no pedaço do bolo de pessoas que pretendem comprar carros esportivos. Então, se o bolo encolhe, o que você faz? É mais empírico [isto é, algo que você experimenta em pessoa]. É levá-los para dentro do produto para fazê-los sentir o que ele faz.”

Encontros de veículos tradicionais, afirma o executivo, não são capazes de capturar o público mais jovem. “Você chega, você estaciona, mostra o carros, toma café e fica por ali. Descobrirmos que no segmentos mais jovem tem que ser mais interativo. Eles querem autocross, carros modificados, time attacks [corridas contra o relógio]”.

Owens menciona alguns eventos que atraem mais millenials, como um festival de balonismo e outro de frutos do mar, e a contratação de influencers mais jovens, como Vaughn Gittin Jr. (40), Joey Logano (31) e Hailie Deegan (20).

Na prática, vimos isso no Brasil recentemente, quando a Ford organizou um evento em São Paulo em que convidados comuns (como eu) puderam arrancar num Mach 1.

Leia mais:

Já assistiu aos nossos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!