Sabe quem você não verá reclamando do final da série Game of Thrones? O ator Peter Dinklage, que viveu Tyrion Lannister, em Game of Thrones. Durante uma entrevista ao jornal americano New York Times, o norte-americano de 52 anos disse, em termos nada incertos, para que fãs críticos ao series finale “seguissem com a vida” em relação às suas críticas do show.

Dinklage estava falando ao jornal sobre seu recente projeto – o musical Cyrano, lançado em março deste ano, dirigido por Joe Wright e no qual ele vive o personagem titular – quando, inevitavelmente, veio a pergunta sobre Game of Thrones, que percorreu um curso de oito temporadas na HBO, entre 2011 e 2019.

publicidade

Leia também

Imagem mostra Peter Dinklage em cena como Tyrion Lannister, da série "Game of Thrones"
Peter Dinklage viveu o personagem Tyrion Lannister em Game of Thrones, e é favorável ao final da série, não muito aceito pelos fãs (Imagem: HBO/Reprodução)

“Eles queriam que as pessoas branquinhas e bonitinhas cavalgassem em direção ao pôr do sol juntas. Aliás, vale lembrar, aquilo [a série] é tudo de mentirinha. Tem dragões nela. Sigam suas vidas”, ele disse, em meio a risos. “Não, sério, a série subverteu o que você pensa [de um final tradicional] e é isso que eu adoro nela”.

Aqui entra o aviso: spoilers massivos adiante! Para facilitar a leitura, eles começam dois parágrafos abaixo e acabam na próxima imagem do texto.

Já se fazem mais de dois anos desde que Game of Thrones chegou ao seu final e, mesmo com uma série derivada (spin off) a caminho também pela HBO, ainda há quem se sinta meio “traído” pelo final do show principal, considerado aquém do que os fãs esperavam.

Contextualizando: nos episódios finais, os fãs finalmente puderam ver o confronto dos protagonistas da série com o temível Rei da Noite, líder supremo do exército dos mortos, capaz de ressuscitar qualquer ser que caísse em batalha e escravizá-lo para seus próprios objetivos.

Depois de muita luta e ver seus amigos amargarem uma quase derrota, Arya Stark conseguiu esfaquear o regente desmorto com uma lâmina de aço valiriano, o único material capaz de ferir o monstro. O exército de mortos-vivos se desfez por completo e as deliberações sobre os destinos de vários personagens começaram.

De uma forma resumida:

Arya Stark decidiu partir “rumo a oeste”, indicando que ela queria explorar as partes desconhecidas do mundo além de Westeros. Jon Snow, após matar Daenerys Targaryen quando esta se revelou uma tirana, partiu junto do que sobrou do Povo Livre/Selvagens para viver o resto de seus dias, enquanto Sansa e Bran Stark se tornaram, respectivamente, rainha e rei de Westeros – mas sem o Trono de Ferro, que foi queimado por completo pelas chamas de Drogon, o filho-dragão de Daenerys, que “ficou pistola” com a morte da mãe.

Imagem animada mostra Peter Dinklage, no papel de Tyrion Lannister, entregando um de seus diálogos mais memoráveis na série: a legenda diz "É isso que eu faço: eu bebo e eu sei de coisas"
Tyrion foi um dos personagens mais icônicos de toda a série Game of Thrones, constantemente lembrado pelo seu sarcasmo e capacidade de estratégia (Imagem: HBO/Reprodução)

Fim dos spoilers

Boa parte dos fãs (e da crítica especializada, e do próprio autor dos livros que inspiraram a série, George R. R. Martin) se mostrou descontente com o final de Game of Thrones. O autor dos livros atribuiu isso ao fato de que, nas temporadas finais, a série já havia atingido todo o possível dentro da obra literária – que Martin é notoriamente lento em terminar – e tinha que começar a seguir seu próprio caminho pois, literalmente e figurativamente, “a fonte secou”.

Isso, e o fato de que o final não “fechou” o destino de diversos personagens, que deixaram as telinhas com mais perguntas do que respostas (e um monte de teorias – algumas bem fundamentadas – no Reddit).

Peter Dinklage, contudo, defende o rumo tomado pelos produtores após a série ter alcançado os livros, inclusive elogiando o momento em que o fim chegou. Temporariamente reencarnando Tyrion Lannister e o seu marcante diálogo “É isso que eu faço: eu bebo, e eu sei de coisas”, o ator de Nova Jersey disse:

“Foi o momento certo. Nem menos, nem mais que isso. Você não quer exagerar na sua estadia, embora eu não saiba se uma série como aquela seria capaz disso. Eu acho que a razão pela qual existem críticas sobre o fim é porque eles [os fãs] estavam zangados porque estávamos ‘terminando um relacionamento’ com eles. Estávamos prestes a sair do ar e eles não sabiam mais o que fazer com suas noites de domingo. Eles queriam mais, então reclamaram por isso”.

A partir daí, a entrevista ao New York Times segue seu rumo para outros assuntos, dando a entender que, até mesmo para Peter Dinklage, Game of Thrones chegou ao seu fim em caráter definitivo.

Se você ainda sente falta de Game of Thrones, sentimos muito em dizer: a spin off House of Dragon, que se ambienta anos antes da série original, está marcada para estreia em 2022 (via HBO e HBO Max), mas ainda não há dia ou mês exato para a sua chegada.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!