Nesta segunda-feira (27) a Apple confirmou que fechará momentaneamente todas as suas 12 lojas localizadas em Nova York. Segundo as informações da Reuters, a decisão foi motivada pelo aumento de casos da nova variante Ômicron, que já avança de forma preocupante nos EUA — no Brasil o número de casos também está subindo.

Vale lembrar que neste mês a Maçã já havia fechado de forma temporária outras três lojas (uma delas no Canadá). Na ocasião, a medida foi adotada em virtude do aumento de casos de Covid-19 entre os funcionários, o que fez com que a companhia de Tim Cook voltasse a determinar o uso de máscaras aos clientes.

publicidade

Segundo a empresa de Cupertino, mesmo com o fechamento, os clientes que desejarem ainda poderão retirar seus pedidos feitos pela internet nas lojas físicas.

Fachada da Apple
Imagem: Art Silpakorn/Shutterstock

Vale lembrar que a curva crescente de casos da nova cepa do coronavírus também levou a Apple a adotar protocolos sanitários mais rígidos, como adiar indefinidamente a volta aos escritórios, o que será certamente acompanhado por outras empresas se uma nova onda da doença se confirmar.

Leia mais:

Apple pode ultrapassar US$ 3 trilhões em valor de mercado

Apesar dos impactos da pandemia, a Apple está perto de alcançar mais um marco histórico em sua trajetória. Em breve, a big tech pode atingir uma capitalização de US$ 3 trilhões (quase R$ 17 trilhões na cotação atual). A marca da Maçã será a primeira companhia de capital aberto a alcançar o feito.

Entretanto, para ultrapassar esse valor de mercado, primeiro os papéis da empresa precisam chegar a US$ 182,85. O que, segundo a CNN, não deve demorar, visto que no dia 13 de dezembro as ações já eram cotadas bem próximo disso: US$ 181,75 cada.

Imagem principal: Drop of Light/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!