Lançada em 2011, a sonda Juno vem há anos estudando Júpiter e suas luas. E foi em 7 de junho deste ano, durante uma passagem por Ganimedes, a maior delas e todo o sistema solar, que a sonda usou um instrumento chamado Waves para medir a intensidade do campo magnético (magnetosfera) ao redor do satélite. 

Agora a agência espacial norte-americana (Nasa) divulgou uma nova forma de visualizar estes dados: eles foram convertidos em áudio, o que nos permite ouvir a “canção” de Ganimedes.

publicidade

Leia mais:

Segundo Scott Bolton, Southwest Research Institute em San Antonio, no Texas, e Investigador Principal da missão, “esta trilha sonora é tão incrivel que você vai se sentir como se estivesse pegando uma carona com Juno enquanto ela passa por Ganimedes pela primeira vez em mais de duas décadas”, disse Bolton.

“Se você prestar atenção, poderá ouvir a mudança abrupta para frequências mais altas na metade da gravação, o que representa a entrada em uma região diferente da magnetosfera de Ganimedes”, afirma.

O som é curioso, e pode ser descrito como uma mistura de grilos, ventos uivantes, um antigo modem se conectando à internet e alguém arranhando uma lousa.

A análise detalhada e a modelagem dos dados do Waves ainda estão em andamento. “É possível que a mudança na frequência logo após a aproximação máxima seja devido à passagem do lado noturno para o lado diurno de Ganimedes”, disse William Kurth, da Universidade de Iowa em Iowa City, principal co-investigador do Waves.

No momento da passagem mais próxima de Juno a Ganimedes – durante a 34ª viagem da missão ao redor de Júpiter – a espaçonave estava a 1.038 km da superfície da lua e viajando a uma velocidade relativa de 67.000 km/h.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!