Este ano foi de recorde de investimentos em startups, foram aportados US$ 8,85 bilhões (praticamente R$ 50 bilhões) até o mês de novembro, fato que foi notícia aqui no Olhar Digital

Com o saldo positivo, o Brasil vai fechar 2021 com dez novos unicórnios no mercado (startups com capitalização acima de US$ 1 bilhão). Vale destacar que esse é o maior número já registrado desde 2017, quando a 99 (do aplicativo de mobilidade urbana) se tornou o primeiro unicórnio do país.

publicidade
Com recorde de investimentos em startups, Brasil ganhou dez unicórnios em 2021
Imagem: fatmawati achmad zaenuri/Shutterstock

No total, o Brasil contabiliza até aqui 24 startups bilionárias em operação. Na lista, o destaque fica entre as empresas do setor financeiro (fintechs), que são 7 desse total.

Outro fato que vale ser destacado é que dos dez novos unicórnios, sete são de São Paulo (do restante, dois são do Paraná e um de Minas Gerais).

O crescimento visto entre o valor das startups no Brasil acompanhou o de outros países. Ao todo, foram 491 novos unicórnios este ano no mundo, contra apenas 110 em 2020, segundo os números da CBInsights.

Veja também

De onde vem os investimentos?

A maior parte dos investimentos em startups brasileiras vem do mercado externo. Geralmente, os fundos estrangeiros também estão presentes nas rodadas em que uma startup vira um unicórnio. O conglomerado japonês SoftBank, por exemplo, investiu em cinco dos dez novos unicórnios este ano.

A lista de ‘novos unicórnios de 2021’ é composta por:

  • MadeiraMadeira (US$ 1 bilhão)
  • Hotmart (valor de mercado não divulgado pela empresa)
  • Mercado Bitcoin (US$ 2,1 bilhões)
  • Unico (US$ 1,5 bilhão)
  • Frete.com (valor de mercado não divulgado pela empresa)
  • CloudWalk (US$ 2,5 bilhões)
  • Nuvemshop (US$ 3,1 bilhões)
  • Daki (US$ 1,2 bilhão)
  • Facily (US$ 1 bilhão)
  • Olist (US$ 1,5 bilhão)

Via: Folha

Imagem principal: PopTika/Shutterstock

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!