O mais novo “Matrix Resurrections” chegou aos US$ 100 milhões em bilheteria no último final de semana, somando a arrecadação nos Estados Unidos com a do resto do mundo. Apesar de ter alcançado o marco significativo, o filme de Lana Wachowski vem sendo considerado uma decepção em termos financeiros.

Até hoje, “Matrix Resurrections” arrecadou um total de US$ 106 milhões ao redor do mundo, sendo US$ 30,9 milhões na América do Norte e US$ 70,1 milhões internacionalmente. Boa parte do impacto negativo na bilheteria se deu pelo lançamento simultâneo do filme na plataforma HBO Max nos Estados Unidos, sem respeitar uma janela para o lançamento no cinema, o que aconteceu por lá com todos os filmes da Warner Bros. em 2021.

publicidade

O grande problema no caso de “Matrix Resurrections” é que sua produção custou cerca de US$ 190 milhões, sem contar com as ações de marketing. Assim, seria necessário cerca de US$ 400 milhões para o filme se pagar, por assim dizer. Vale destacar que o filme tem ao seu lado o valor para a WarnerMedia dos números da HBO Max, mas de certo não é o suficiente para cobrir a diferença.

Outro ponto ao lado de “Matrix Resurrections” é que ele será uma das únicas superproduções de Hollywood a estrear na China, no dia 14 de janeiro. O lançamento por lá pode acabar se tornando a salvação do filme, que vai buscar seguir o exemplo de “Godzilla vs. Kong“, outro lançamento da Warner Bros. a chegar à China, onde arrecadou mais de US$ 180 milhões.

Alguns fatores prejudicaram o sucesso de “Matrix Resurrections”, como a estratégia de lançamento mista entre cinemas e HBO Max nos Estados Unidos, as críticas mistas tanto especializada, quanto do público e, talvez o maior de todos, o lançamento com apenas uma semana de diferença para “Homem-Aranha: Sem Volta Para Casa“, outro filme de ação que disputa um público semelhante, e vem fazendo um sucesso estrondoso de bilheteria.

Leia mais!

Mas, outro ponto é ainda a distância entre o lançamento do terceiro e quarto filmes, com a franquia suspensa por quase duas décadas, somado à dificuldade de fazer sequências que se equiparem a seus originais. Acima de tudo, o orçamento do filme sempre foi alto demais, obrigando que a bilheteria seja gigantesca para que os ganhos superem os custos.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!