Já há algum tempo se sabe que o tipo sanguíneo tem um papel importante no aumento do risco de infecção pela Covid-19, mas não se sabia qual era a razão para isso. Porém, um novo estudo demonstrou que a causa pode ser o comportamento do vírus, que seria semelhante ao de uma transfusão de sangue.

Evidências já demonstravam que pessoas com o tipo sanguíneo O tinham uma probabilidade menor de contrair Covid-19, com a diferença variando bastante de região para região. Com essas informações em mãos, a equipe liderada por Peter Ellis, da Universidade Kent, no Reino Unido, conseguiu realizar essas novas descobertas.

publicidade

Transmissão semelhante à transfusão

Segundo pesquisadores, pessoas podem transmitir o vírus mais facilmente para pessoas com tipo sanguíneo compatível para transfusões. Crédito: Kzenon/Shutterstock

De acordo com Ellis, o vírus da Covid-19 tem um comportamento semelhante ao de uma transfusão de sangue. Ou seja, os pacientes infectados têm entre duas e três vezes mais chances de transmitir o vírus para pessoas com um tipo sanguíneo compatível, para quem seriam doadoras de sangue elegíveis.

“Isso explica por que as pessoas do Tipo O têm menor risco de infecção”, explica Ellis. “Assim como rejeitam transfusões de sangue de tipos não-O, elas podem rejeitar partículas de vírus de um paciente com sangue não-O, escapando assim da infecção”, detalha o pesquisador.

Leia mais:

Porém, da mesma forma que as pessoas com sangue Tipo O são “doadores universais” e podem doar sangue para qualquer pessoa, eles também podem infectar pessoas com qualquer tipo sanguíneo. Por outro lado, as pessoas com sangue Tipo A são as que mais podem pegar o vírus, mas as que menos podem transmitir.

Diferentes epidemias no mundo

Essas descobertas podem explicar, em partes, as variações na gravidade da pandemia em diferentes lugares do mundo. Segundo os pesquisadores, países que têm maior diversidade de tipos sanguíneos circulando poderão apresentar barreiras naturais à circulação do vírus.

Com isso em mente, a equipe de Peter Ellis examinou se seria útil separar grupos prioritários para vacinação contra a Covid-19 com base no tipo sanguíneo. Porém, eles descobriram que esse tipo de separação seria prejudicial para a eficácia geral das campanhas de vacinação ao redor do mundo.

Separação não é recomendada

“Nossa conclusão é que priorizar qualquer tipo de sangue para vacinação é pior do que escolher aleatoriamente”, escreveu a equipe. “A crescente percepção de que ‘Tipo O significa que você tem baixo risco’ não é uma conclusão segura para o grande público”, prosseguem eles.

Segundo os pesquisadores, ter o sangue Tipo O pode significar que aquela pessoa é pessoalmente um pouco mais segura, mas que ela pode representar um risco maior para as outras pessoas caso seja infectada. Além de causar uma falsa sensação de segurança em pessoas com tipo sanguíneo O.

Via: Medical Xpress

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!