A missão Psyche, que está sendo preparada pela agência espacial norte-americana para estudar um dos primeiros asteroides descobertos, deu mais um passo importante rumo ao lançamento. A equipe da Universidade Estadual do Arizona (ASU), responsável pelo projeto, colocou a espaçonave em uma câmera térmica de vácuo, usada para simular o ambiente do espaço.

Psyche será testada na câmara por várias semanas. Depois de passar por esse teste, ela será submetida a um teste de vibração em uma mesa agitadora enquanto estiver em uma câmara acústica. Isso reproduz as vibrações que a atingirão durante o lançamento.

publicidade

O teste final incluirá interferência eletromagnética e testes de compatibilidade eletromagnética. Assim que o teste for concluído, a equipe Psyche conduzirá a Revisão de Preparação de Operações para garantir que todas as equipes estejam prontas para o lançamento. 

Depois de encapsulada em uma carenagem protetora, a espaçonave será anexada a um foguete Falcon Heavy e transportada para o local de lançamento no Complexo de Lançamento 39A no Centro Espacial Kennedy em Cabo Canaveral, na Flórida. Atualmente o lançamento está agendado para as 15h de 1º de agosto de 2022 (horário de Brasília).

Espaçonave Psyche chega ao Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa para montagem. Imagem: Nasa / JPL

Psyche é uma missão inédita que irá orbitar um asteróide chamado 16 Psiquê (16 Psyche, em inglês), um dos primeiros a serem conhecidos. Ele foi descoberto pelo astrônomo italiano Annibale de Gasparis em 1852. Batizado em homenagem à deusa da alma na mitologia grega, é o maior asteróide do tipo M já descoberto.

A jornada da espaçonave até seu alvo levará três anos e meio. Quando seu comissonamento estiver completo, a espaçonave terá 24,76 metros de comprimento por 7,34 metros de largura, aproximadamente o mesmo tamanho de uma quadra de tênis. Ela será alimentada por dois painéis solares, e usará vários instrumentos, incluindo câmeras e espectrômetros, para determinar a topografia, estrutura interna e campo gravitacional de 16 Psiquê, bem como sua idade.

Leia mais:

Ela também testará um sistema experimental de comunicação a laser denominado DSOC (Deep Space Optical Communications) para se comunicar com a Terra. Ele usa fótons (luz) para se comunicar em vez das ondas de rádio normais, e promete desempenho de 10 a 100 vezes o dos sistemas atuais baseados em rádio, sem aumento significativo na massa, volume ou consumo de energia do equipamento.

Psyche é uma missão irmã da Lucy, missão lançada em novembro que irá estudar vários asteroides troianos de Júpiter. Apesar de um problema com um de seus painéis solares, a espaçonave atualmente prossegue como programado rumo a seu alvo, numa missão que deve durar 12 anos.

Os asteroides que serão explorados pela Lucy são chamados pela Nasa de “fósseis” da formação de planetas, e podem nos dar pistas sobre as origens do sistema solar. O motivo é que eles teriam sido capturados nas suas órbitas atuais no começo da formação do sistema solar.

Conhecendo 16 Psiquê

Como um asteróide do tipo M, 16 Psiquê é composto principalmente de metal, embora dados mais recentes sugiram que pode ser feito de uma mistura de rocha e metal. Ele está atualmente em uma órbita a 3 UA (unidades astronômicas) do Sol, sendo que 1 UA é a distância entre nós e nossa estrela. Um dia lá dura quatro horas e 12 minutos, e um ano durando 5 anos terrestres.

Não temos imagens diretas de 16 Psiquê mas, com base em medidas atuais, a Nasa acredita que esta seja sua aparência. Imagem: Nasa

É um asteróide relativamente grande, de forma irregular e tamanho estimado em 279 km por 232 km por 189 km. Seu estudo permitirá aos cientistas dar uma olhada em como nosso sistema solar foi formado.

Eles teorizam que 16 Psiquê é o núcleo exposto de um planetesimal, os blocos de construção dos planetas terrestres. Se confirmado, será a primeira vez que poderemos ver o núcleo de um planeta sem quaisquer obstruções.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!