A concorrência entre as duas gigantes da tecnologia é acirrada em diversos segmentos. Entretanto, segundo um novo processo judicial que veio à tona na última semana, Apple e Google trabalharam juntas nos últimos anos para reforçar a dominância da empresa de Mountain View no nicho de pesquisas na internet.  

Conforme as informações da ação antitruste, a dupla teria violado as leis de concorrência dos EUA ao firmar um acordo de pagamentos bilionários por parte do Google para manter o seu motor de buscas configurado como o padrão nos dispositivos da marca da Maçã — algo que também já foi discutido pelo órgão de concorrência do Reino Unido em 2020.

publicidade
Google Apple investigação antitruste
Google e Apple também são alvo de investigações antitruste em outros países por conta do domínio no mercado de celulares. Imagem: Daria Nipot/Shutterstock

A denúncia apresentada pela justiça americana na última segunda-feira (27) também indica que a Apple, por meio de “reuniões secretas”, teria, inclusive, concordado em desistir de criar o seu próprio sistema de pesquisas na web para evitar a concorrência direta com o Google em mais um setor.

Leia mais:

Divisão de lucros em publicidade do Google

Dentre os termos da parceria, também teria ficado estabelecido que parte dos lucros dos anúncios do Google seriam destinados para a empresa de Cupertino caso a mesma concordasse em manter a preferência pelo seu motor de buscas.

A questão é: ao promover esse comportamento, a dupla complicou a sobrevivência de outras companhias menores, muitas delas, segundo as autoridades, acabaram desistindo de atuar nesse mercado. 

Como resultado da baixa concorrência, os valores de anúncios em plataformas digitais também cresceram nos últimos anos, ao passo que um sistema competitivo é praticamente inexistente no setor.

Demandas da justiça

O processo em andamento visa obrigar à restituição de todos os pagamentos feitos por meio do polêmico acordo, além de proibir novas parcerias que influenciam na concorrência entre as duas empresas. 

Por fim, se depender da justiça, o acordo de divisão de lucros e o tratamento preferencial das buscas do Google em dispositivos da Apple também estão com os dias contados.

Em resposta, Google e Apple afirmam que apesar de vir configurado como padrão, os usuários não são obrigados a utilizar o mecanismo de pesquisas da gigante de buscas, podendo selecionar outras opções se necessário.

Fonte: Law.com

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!