O mundo dos videogames se expande cada vez mais e grandes artistas da música não ficariam de fora. Se no passado o ramo era considerado como um nicho específico para os aficionados e pessoas mais jovens, hoje esse universo ganha mais e mais espaço, se tornando um setor que movimenta bilhões de dólares todos os anos.

Com isso, ele acaba recebendo influências de outros meios, como quando grandes autores como George R.R. Martin contribuindo com o game “Elden Ring”, por exemplo. E as grande artistas da música também deram sua contribuição. Então vamos a uma lista, elaborada pelo site CBR.com, que recorda 10 vezes em que artistas musicais fizeram uma “palhinha” em games.

publicidade

10. Brian May em “Rise of the Robots”

Se em muitos casos os artistas podem se gabar por ter seu nome ligado a um grande jogo, nesse caso é o jogo que se destaca simplesmente por ter recebido colaboração de Brian May, o guitarrista do Queen. A tela do título do game é acompanhada da música altamente comprimida “The Dark”, de Brian May.

O curioso é que ele havia composto a trilha sonora completa do jogo, mas ela foi barrada, e todas as outras faixas são do compositor Richard Joseph. “Rise of the Robots” foi lançado em 1994, quando não havia tanto espaço nos games para uma trilha sonora mais complexa.

9. Method Man em “World Gone Sour”

Rap e gomas ácidas se misturam no game da Capcom, “World Gone Sour”. O game foi desenvolvido para fazer propaganda para uma marca de doces, mas mesmo assim, traz um tom mais subversivo e lotado de comédia autodepreciativa, contando ainda com a narração de Creed Bratton, de “The Office”.

E pra completar, Method Man contribuiu com o game e ainda rolou um clipe divulgando a parceria do rapper com as jujubas ácidas do game.

8. Sheena Easton em “Lost Odyssey”

O game do mesmo criador de “Final Fantasy”, Hironobu Sakaguchi, é um RPG com gráfico HD e produção com valores dignos de Hollywood, com a Microsoft investindo pesado no jogo, que incluiu uma orquestra inteira contratada para a produção da trilha sonora.

Além disso, “Lost Odyssey” ainda tem duas faixas com vocais de Sheena Easton, uma aclamada cantora escocesa.

7. The Rapture em “Grand Theft Auto IV

A banda americana de rock não é o maior nome da trilha sonora de “GTA IV”, que tem canções de diversos artistas e gêneros musicais diferentes, como Kanye West, Nas, David Bowie, Elton John e R.E.M.

Mas a canção “No Sex For Ben”, do The Rapture, foi composta especificamente para o game.

6. Snoop Dogg em “Tekken Tag Tournament 2”

A franquia de games “Tekken” contou com dois games fora do cânone da história, “Tekken Tag Tournment” e sua sequência, que permitiam que os jogadores se desafiassem em lutas entre times de dois jogadores. Por estarem livres da história principal da franquia, até personagens mortos nos games anteriores puderam dar as caras.

Os jogos anteriores tinham trilhas sonoras bem variadas, mas o produtor Katsuhiro Harada apostou no rap, e logo com um baita nome, o próprio Snoop Dogg, que contribuiu com “Knocc ‘Em Down”.

5. David Bowie em “The Nomad Soul”

O cantor já havia sido citado na lista, como um dos nomes a ter canções em “GTA IV”, mas na aventura gráfica “The Nomad Soul”, desenvolvida pela Quantum Dream, a contribuição foi gigante. Além de 10 faixas no jogo, Bowie ainda emprestou sua voz e aparência para um dos personagens, chamado Boz. A esposa de David Bowie, Iman, também emprestou a voz para outra personagem.

4. Megadeth em “Duke Nukem”

A banda de heavy metal não necessariamente contribuiu com o game, mas quase. 12 anos após Duke salvar a Terra dos aliens de “Duke Nukem 3D”, uma continuação foi lançada, mas não deu tão certo entre o público.

O que deu certo mesmo foi o cover que o Megadeth fez da música tema de “Duke Nukem 3D”, chamada “Grabbag”. A canção foi composta por Lee Jackson.

3. Brad Bruxer em “Sonic 3”

Os primeiros dois games do ouriço corredor tiveram grandes compositores, mas a ideia inicial da Sega era manter o orçamento baixo e ir com nomes da casa no terceiro game. Mas, Michael Jackson era fã da série e abordou a companhia para contribuir com faixas para o game.

A parceria acabou não saindo do papel, e gerou diversas teorias da conspiração. Há quem diga que foram os escândalos envolvendo o Rei do Pop que evitaram que a parceria saísse do papel, mas Brad Buxer, tecladista que fez diversas parcerias com Jackson, contribuiu com o game e afirma que na verdade foi o cantor que se negou a participar por não estar satisfeito com a qualidade sonora que a Genesis pretendia utilizar no game.

2. Nine Inch Nails em “Quake”

O vocalista do Nine Inch Nails, Trent Reznor, era muito fã do game “Doom”, e havia interesse em comum entre o artista e a Id Software. Então, as partes contribuíram em trabalhar juntas na trilha sonora de “Quake”, o revolucionário game de tiro em primeira pessoa.

Além da trilha sonora, a logo do Nine Inch Nails aparecia nas caixas de munição para pistolas de pregos no game.

Logo da banda Nine Inch Nails dentro do game “Quake”. Divulgação/Id Software

Leia mais!

1. Paul McCartney em “Destiny”

O vovô McCartney atacou nessa aqui. O compositor de “Halo”, Martin O’Donnell achou que era uma piada quando os representantes do ‘Beatle’ Paul McCartney entraram em contato com ele para uma possível colaboração. Mas era verdade, McCartney havia ouvido algumas faixas de “Halo: Reach” e se interessou em contribuir em “Destiny” o game online multiplayer de tiro em primeira pessoa.

O motivo? McCartney nunca tinha feito uma música para games e gostou da oportunidade de criar algo que os netos gostariam.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!