A Estação Espacial Internacional (ISS, na sigla em inglês) vai “virar” um museu este ano. O laboratório orbital vai receber peças que, normalmente, seriam expostas em museus. As obras de arte e pedras preciosas serão enviadas ao local pela startup Uplift Aerospace, que assinou um contrato com a Nasa.

Os itens serão armazenados em um cofre a bordo da Estação Espacial, do tamanho de um armário. A ideia do empreendimento é “estabelecer o comércio no espaço”.

publicidade

Leia mais:

Os objetos levados até a órbita da Terra vão de moedas raras e joias sofisticadas a “produtos macios”, destinados aos tripulantes a bordo da Estação Espacial. Eles serão colocados à venda em seguida, ou seguirão para museus quando retornarem à terra firme.

A logística, porém, para levar os materiais até a ISS ainda não foi elaborada pela startup. Josh Hanes, CEO e presidente da Uplift Aerospace, admitiu que essa parte ainda não foi planejada, em entrevista ao collectSPACE. As obras de arte vão para o espaço no segundo semestre deste ano.

Imagem mostra a Estação Espacial Internacional, que serve como molde para uma empresa que quer criar uma estação espacial privada
A Estação Espacial vai receber a galeria de arte. Imagem: 3Dsculptor/Shutterstock

“A ideia é que possamos mostrar os itens enquanto eles estão na estação espacial, mas ainda estamos desenvolvendo o processo exato de como isso será feito”, disse Hanes.

Ah, e é claro que há ainda conexão com o blockchain, com uma espécia de token não fungível (NFT) também no cofre. Esses vão atuar como cartões de membro para a comunidade “Space+” da startup, para que as pessoas acessem “experiências espaciais da vida real”.

“Atualmente, os NFTs não têm muita utilidade no mundo físico. Estamos tentando incorporar isso a eles”, completou o CEO.

Via: Futurism

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!