Um dos mais poderosos satélites de observação terrestre da Europa está enfrentando problemas no espaço. Chamado Sentinel-1B, ele deixou de enviar dados em 23 de dezembro após sofrer uma “anomalia” não especificada, e tentativas de corrigir o problema não tiveram sucesso.

O Sentinel-1B foi lançado colocado em uma órbita polar (que cruza os polos da Terra) em abril de 2016, dois anos após seu irmão Sentinel-1A. Eles são parte do programa europeu Copernicus de observação terrestre e usam radares para fazer o mapeamento de nosso planeta em alta resolução para uma “variedade de usos”, entre eles gerenciamento ambiental, compreensão e mitigação dos efeitos das mudanças climáticas e segurança da população.

publicidade
Um satélite Sentinel-1. Imagem: Rama / Wikimedia Commons (CC-BY-SA-2.0)

Os satélites têm combustível para operar por até 12 anos, e a estimativa é que coletem dados por ao menos sete anos. Ou seja, 1B está próximo ao “fim” da vida. Segundo uma nota oficial da Agência Espacial Europeia, após a anomalia engenheiros planejaram cuidadosamente o retorno às operações, incluindo mudanças na configuração do satélite para impedir que o problema ocorra novamente.

Mas nem tudo saiu como planejado. “Durante a preparação das operações de recuperação, se tornou claro que a anomalia inicial era uma consequência de um problema potencialmente sério relacionado a uma unidade do sistema de energia do satélite Sentinel-1B. As operações realizadas ao longo dos últimos dias não permitiram, até o momento, a reativação de uma função da fonte de alimentação necessária para as operações com o radar”. 

Leia mais:

Segundo a nota, “mais investigações para identificar e remediar a raiz do problema serão realizadas nos próximos dias”.

O programa Sentinel tem atualmente nove satélites em órbita (1A, 1B, 2A, 2B, 3A, 3B, 5P, 5 e 6A), que mapeiam os continentes e oceanos usando raios-X ou câmeras ópticas, além de usar instrumentos para realizar análise atmosférica e monitoramento do nível do mar. Os dados obtidos são fornecidos gratuitamente a todos os usuários e ao público.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal.