Inaugurando o nosso especial sobre tecnologias antigas, vamos falar sobre o fax. Para os mais jovens, há uma grande chance de muitos nunca terem usado ou sequer visto uma máquina de fax funcionando com o seu som peculiar de impressão.

Também chamado de ‘telefax’ ou ‘telecópia’, ainda assim, essa tecnologia de telecomunicação que ganhou força na década de 1980 é usada até hoje para a transferência remota de documentos pela rede telefônica.

publicidade

O que é o fax?

A ideia original por trás do aparelho de fax foi patenteada em 1843 pelo mecânico escocês Alexander Bain e partiu da união do seu projeto com a do aparelho telefônico. 

Só em 1926 surgiu o primeiro protótipo do dispositivo desenvolvido pelo Bell Labs (que também desenvolveu outras tecnologias importantes, como os transistores, LEDs, lasers, a linguagem de programação C e até o sistema operacional Unix). 

Em 1947, logo após o fim da segunda guerra mundial, o especialista em telégrafos, Gabriel Casotti, conseguiu produzir o primeiro aparelho de fax em parceria com uma agência de notícias.

Logo depois, em 1949, o primeiro sistema de fax começou a operar no Japão e em 1973 os primeiros aparelhos começaram a ser produzidos em larga escala.

Como funciona?

Para funcionar, uma máquina de fax precisa dos seguintes componentes: um scanner, um modem, uma impressora e uma linha telefônica. O scanner é quem converte um arquivo impresso em uma imagem digitalizada. O modem, por sua vez, envia essa imagem pela linha telefônica para outra máquina de fax. Em seguida, como na imagem abaixo, a impressora do destinatário produz uma cópia do documento recebido.

Homem usando uma máquina de fax no escritório
Máquina de fax imprimindo um documento. Imagem: junpiiiiiiiiii/Shutterstock

Seu grande sucesso foi antes da popularização da internet e se deve principalmente por conta das vantagens sobre outros serviços como os correios, por exemplo, já que a transferência de um documento era quase instantânea.

No início dos anos 2000, para se manter relevante no mercado, surgiu um novo serviço: o fax pela internet (Internet Fax ou Fax to Mail). A modalidade funciona através de um servidor de fax, um programa que permite enviar documentos a partir de um computador conectado à Internet. 

Entretanto, com a ascensão do scanner (uma das peças que compõem uma máquina de fax) o Internet Fax acabou perdendo espaço, já que os scanners, por si só, já permitem digitalizar imagens e documento que podem ser enviadas via e-mail. Nessa mesma época, o e-mail, inclusive, já era visto por muitos como um solução mais rápida e confiável que a proposta original do fax.

Por consequência, principalmente no meio corporativo, as máquinas e servidores de fax foram gradualmente substituídos por outros sistemas inteligentes capazes de receber, armazenar, imprimir e enviar documentos, o que também reduziu os custos, uma vez que diminuíram as impressões desnecessárias e os gastos extras com chamadas telefônicas.

Veja também

As máquinas de fax podem transmitir imagens coloridas?

A resposta é sim. Também é possível enviar imagens coloridas por fax, e não apenas imagens em preto e branco. Essa funcionalidade foi implementada em 1996.

Vale destacar que nem todas as máquinas de fax produzidas na época podiam transmitir e imprimir em cores, já os dispositivos mais novos contam com essa funcionalidade.

O fax ainda é utilizado?

Apesar de terem saído de moda já há algum tempo, o fax ainda é utilizado como canal de comunicação por algumas empresas e agências governamentais pelo mundo.

Como contexto, em 2018, ao pesquisar por números de fax ativos na internet, o resultado ainda era surpreendente: 400 milhões de linhas de fax ativas para os resultados em língua inglesa, contra 50 milhões em russo. O Japão, por sua vez, o primeiro país a adotar a tecnologia, ainda contava sozinho com 300 milhões de contatos via fax, ou seja, é certo que milhões de páginas ainda são enviadas diariamente por meio da tecnologia.

Na terra do sol nascente, por exemplo, ter um fax em casa não é um hábito apenas das empresas. Os números apontam que de 40% a 50% dos japoneses ainda usam a tecnologia em seu cotidiano. 

O NHS, o serviço de saúde britânico, também era considerado até pouco tempo um dos maiores compradores de aparelhos de fax no mundo. Desde 2020, o governo adotou uma estratégia que visa começar a trocar essas máquinas. 

O acadêmico Jonathan Coopersmith, que escreveu uma obra sobre a história do fax, elencou um motivo para o fax ainda se manter vivo. Para Coopersmith, as pessoas, principalmente as mais velhas, ainda não se sentem confortáveis com os computadores e celulares: “É mais fácil mandar um fax, além de mais barato e familiar”, disse. “Acredito que ele (o fax) vai continuar em circulação, mesmo que com uma parcela menor”, acrescentou.

Por fim, vale destacar que o padrão de transmissão de dados por fax (o ITU-T Recommendation T.30), basicamente o que gerencia o funcionamento da tecnologia, recebeu a sua última atualização em 2005. Como contexto, nesse ano ainda não existia um iPhone e o sistema operacional do momento era o Windows XP.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!