Lançada em 1998 e com sua montagem completa concluída em órbita em 2011, a Estação Espacial Internacional (ISS), ao longo desse tempo, começou a mostrar sinais da idade. Exposta ao calor e frio extremos do espaço, um ambiente de vácuo e detritos de micrometeoroides por mais de 20 anos, o laboratório orbital vem sofrendo fraturas por estresse, além de outros danos.

A Estação Espacial Internacional é retratada de uma janela a bordo da Crew Dragon Endeavour, durante um sobrevoo ao redor do laboratório orbital que ocorreu após sua separação do módulo Harmony, em 8 de novembro de 2021, antes de retorno à Terra. Imagem: Centro Espacial Johnson – Nasa

Após a aposentadoria do ônibus espacial em 2011, a Nasa perdeu a capacidade de mandar humanos para voar ao redor da estação e catalogar essas mudanças com fotografias altamente detalhadas. No entanto, graças ao surgimento do veículo Crew Dragon da SpaceX, os astronautas começaram a circundar a estação novamente, depois de desacoplar e antes de voltar para a Terra.

publicidade

Recentemente, a tripulação da missão Crew-2, liderada pelo astronauta da Nasa Shane Kimbrough, foi capaz de capturar múltiplas vistas da estação espacial. O Centro Espacial Johnson postou recentemente as fotos em sua página no Flickr.

O astronauta da Nasa e engenheiro de voo da Expedição 66 Thomas Marshburn olhando para fora pela cúpula, a “janela para o mundo” da Estação Espacial Internacional, em foto recente tirada em 7 de janeiro de 2022. Imagem: Centro Espacial Johnson – Nasa

Leia mais:

Ao olhar para essas fotos, percebe-se claramente o quanto a ISS é um feito da engenharia e diplomacia — uma máquina enorme e complexa, sobrevoando e funcionando em órbita baixa da Terra. É improvável que voltemos a ver um veículo espacial em órbita tão grande e com tamanha capacidade.

Em muitos aspectos, a ISS oferece uma visão esperançosa do que nosso futuro no espaço poderia conter. Reuniu os EUA e a Rússia no espaço, bem como uma série de outras nações europeias, o Japão e o Canadá. 

Muitos desses países estiveram em guerra no século passado. Mas, no século 21, eles trabalharam juntos e contribuíram com dinheiro e equipamentos para a construção de algo maior do que cada nação poderia ter feito por conta própria.

Mais uma foto tirada de uma janela a bordo da SpaceX Crew Dragon Endeavour, durante um sobrevoo ao redor da Estação Espacial Internacional (ISS), que ocorreu após sua separação do módulo Harmony, em 8 de novembro de 2021. Imagem: Centro Espacial Johnson – Nasa

Com seus experimentos pioneiros sobre saúde humana e microgravidade, a estação espacial está fornecendo um modelo para entender como os humanos podem viver, trabalhar e prosperar no espaço por meses ou até anos. 

Centenas de pessoas já viveram na estação, fornecendo informações biológicas que servirão de base para futuras naves espaciais e missões de exploração.

Outra imagem impressionante da Estação Espacial Internacional feita pela tripulação a bordo da SpaceX Crew Dragon Endeavour em 8 de novembro de 2021. Imagem: Centro Espacial Johnson – Nasa

Isso tudo demonstra que a estação espacial, portanto, oferece à humanidade um caminho de cooperação e sustentabilidade no voo espacial.

Já se distanciando da Estação Espacial Internacional, a tripulação da SpaceX Crew Dragon Endeavour fez esta foto, em 8 de novembro de 2021. Imagem: Centro Espacial Johnson – Nasa

Recentemente, a pedido do administrador da Nasa, Bill Nelson, o governo Joe Biden concordou em estender a vida da ISS até 2030. Ou seja, os EUA ainda devem forjar acordos com seus parceiros internacionais para manter a estação voando durante esta década, e pode haver algum trabalho pesado para manter a Rússia junto. 

Afinal, como essas fotos mostram, definitivamente, vale a pena manter a ISS voando enquanto ela for capaz de fazê-lo.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!