Onslow, uma cidade costeira da Austrália Ocidental que não chega nem a mil habitantes, atingiu um nível de temperatura nesta quinta-feira (13) que os termômetros não registravam no país desde 1960: 50,7ºC, batendo, assim, o recorde de calor na região.

De acordo com o Conselho do Clima australiano, temperaturas altas como essa tendem a se tornar comuns no país devido ao aquecimento global.

publicidade

“NOVO recorde de temperatura máxima da Austrália Ocidental e igual recorde nacional de temperatura!”, publicou o Escritório de Meteorologia regional no Twitter. “Onslow atingiu sem precedentes 50,7ºC, que é um recorde da Austrália Ocidental e iguala o dia mais quente da Austrália, estabelecido há 62 anos em Oodnadatta SA”.

Segundo o órgão, o país registrou pela última vez uma temperatura de 50,7ºC em 2 de janeiro de 1960, no Aeroporto de Oodnadatta, no sul da Austrália. O diretor de pesquisa do Conselho do Clima, Martin Rice, disse que o registro era “parte de uma tendência de aquecimento de longo prazo impulsionada pela queima de carvão, petróleo e gás”.

Leia mais:

Ondas de calor são o principal assassino da Austrália

Rice revelou que temperaturas extremas já estavam tendo “consequências catastróficas mortais” na Austrália. “As ondas de calor são o assassino silencioso na Austrália, e causam mais mortes do que qualquer outro evento climático extremo”, disse ele.

A Austrália viveu um verão com incêndios florestais no oeste do país e inundações mortais em sua costa leste. Segundo Rice, sem uma redução nas emissões de gases de efeito estufa, tais temperaturas recordes poderiam se tornar comuns na Austrália. “Em Sydney e Melbourne, veremos dias de verão de 50 graus até 2030”, disse ele.

Espera-se que o Escritório de Meteorologia confirme o registro oficialmente na sexta-feira (14) à tarde, depois que as verificações de controle de qualidade forem concluídas.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!