Um dia para ficar na história. Assim pode ser analisada essa sexta-feira (14) em razão do anúncio da Petrobras sobre a produção registrada em 2021. O cenário foi tão positivo que analistas já preveem que as ações terão uma considerável alta nos próximos dias, sendo um excelente investimento. No balanço anual da companhia, foi divulgado que a produção de petróleo e gás atingiu 2,77 milhões de barris de óleo por dia, enquanto a meta estipulada eram 2,72 milhões. Para este ano, a meta ficou em 2,6 milhões em uma revisão que reduziu em 100 mil a quantidade de boed (barris) por dia. 

Empresa mais valiosa da América Latina

O anúncio fez com que a ação preferencial da Petrobras fechasse o dia com a maior cotação da história: R$ 31,45, superando até mesmo a máxima histórica no intradiário, que registrou R$ 31,60. O bom cenário foi influenciado pela alta do petróleo, expectativa de pagamento de dividendos e valor atrativo do papel. Além disso, a companhia foi avaliada pela provedora de informações financeiras, Economatica, em US$ 70,6 bilhões, o que corresponde a R$ 401 bilhões, sendo considerada a mais valiosa da América Latina.  

publicidade

De acordo com a direção da Petrobras, os resultados refletem o início da produção da FPSO Carioca, primeira plataforma no campo de Sépia, no pré-sal da Bacia de Santos. Somente a produção do pré-sal totalizou 1,95 milhões de boed em 2021, dado que representa 70% de tudo o que foi explorado pela companhia. 

Outro fator positivo foi o início do acordo de coparticipação do campo de Búzios e também a venda de sua participação em campos marítimos nas Bacias de Campos, Santos, além dos polos terrestres na Bahia, Espírito Santo e Sergipe. 

Em nota, a empresa divulgou que o foco em águas profundas tem demonstrado grande diferencial competitivo ao longo dos anos, produzindo óleo de melhor qualidade e com menores emissões de gases do efeito estufa. 

Entenda o motivo da redução da meta para 2022  

A meta de produção para este ano foi reduzida em 100 mil barris por dia pelo fato de ter ocorrido a divisão da produção dos FPSOs P-70 e Carioca, em operação nos campos de Atapu e Sépia. A Petrobras terá 65,69% de participação na jazida compartilhada de Atapu e 55,30% no campo de Sépia.   

Leia mais:

Imagem mostra um técnico da Petrobras equipado com a HoloLens, da Microsoft
Petrobras está focada na extração de petróleo em águas mais profundas, o conhecido pré-sal. Graças a essa descoberta, a qualidade do óleo melhorou e a empresa estatal está com uma produção em ritmo acelerado, ganhando novos mercados. Crédito: Petrobras/Ehder Souza

Ações devem sofrer alta 

Como estamos em um ano eleitoral e a estatal é formada por uma gestão de economia mista, com capital aberto, tendo o governo federal como maior acionista, tudo indica que as ações terão uma alta nos próximos dias e meses. 

Analistas estão otimistas e o preço do petróleo também deve continuar em alta no mercado internacional por conta da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) manter em alta a oferta da commodity. 

O dólar também tem impacto direto no preço do petróleo, impactando positivamente no caixa da Petrobras. A gestão da companhia está mais dinâmica e com redução de custos, o que vem trazendo maior eficiência. Já os preços nas bombas, continuam deixando os motoristas de cabelo em pé.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!