Hong Kong anunciou que vai sacrificar mais de 2 mil de pequenos roedores de diversas espécies após hamsters testarem positivo para Covid-19 em um pet shop. Um funcionário do local foi diagnosticado com a doença. Não há evidências de que o vírus possa ser transmitido de animais para de estimação para humanos.

No entanto, por segurança, a cidade vai suspender a venda de hamsters e a importação de pequenos animais. A maior parte dos roedores que testaram positivo na loja vieram da Holanda. “Se você tem um hamster, deve mantê-lo dentro de casa, não o leve para fora”, disse o diretor do Departamento de Agricultura, Leung Siu-fai.

publicidade

Hamsters sacrificados pela Covid-19

“Todos os donos de animais de estimação devem manter uma boa higiene pessoal e, depois de entrar em contato com animais, lavar as mãos”, completou ainda no alerta do funcionário em uma coletiva de imprensa.

Leia mais:

Quem adquiriu um hamster recentemente na loja deve entregar o animal para as autoridades para que possa ser sacrificado. A medida é por precaução já que não há evidências de que esses pets possam transmitir Covid-19 para humanos.

Já outros hamster comprados recentemente devem ser submetidos a testes de Covid-19 e a recomendação é que quem comprou um animal do tipo a partir de 22 de dezembro não entre em contato com outras pessoas até a testagem do pet. As autoridades ainda garantem que os sacrifícios vão ocorrer de forma humana.

Já assistiu aos novos vídeos no YouTube do Olhar Digital? Inscreva-se no canal!