Depois de viajar centenas de milhares de quilômetros pelo espaço nos últimos 29 dias, o revolucionário Telescópio Espacial James Webb (JWST), da Nasa, realizou sua última grande manobra de correção de curso nesta tarde, colocando-se, finalmente, em seu lugar de trabalho. 

Ponto em que o telescópio espacial James Webb irá operar é estratégico. Imagem: Aleksandr Kukharskiy – Shutterstock

Lançado no dia de Natal, o JWST teve uma viagem agitada até o seu destino. Muito grande para voar para o espaço em sua forma final, o telescópio teve que subir dobrado dentro de seu foguete. Uma vez que chegou ao espaço, ele começou uma rotina extremamente complexa de desdobramento, um tipo de coreografia que nenhuma nave espacial jamais havia realizado antes. 

publicidade

Segundo a Nasa, o telescópio espacial realizou cada passo de maneira impecável, completando suas principais implantações em 8 de janeiro e desabrochando em sua configuração completa.

Por que o telescópio James Webb foi direcionado ao L2

Nesta segunda-feira (24), por volta das 16h (horário de Brasília), o observatório disparou seus propulsores a bordo por cerca de 5 minutos. Foi a última das três manobras de correção de curso que JWST fez, desacelerando a espaçonave o suficiente para colocá-la em uma órbita muito precisa no espaço.

JWST, agora, está orbitando em torno de um ponto invisível no espaço conhecido como um ponto de Lagrange L2 no sistema Terra-Sol. É uma área do espaço onde a gravidade e as forças centrípetas do Sol e da Terra se equilibram, permitindo que os objetos permaneçam em uma posição relativamente “estável”. 

“Há um pequeno cabo de guerra acontecendo em que [a gravidade] se equilibra perfeitamente”, explicou Jean-Paul Pinaud, líder de operações terrestres Delta-V da Northrop Grumman, responsável pela construção do JWST, em entrevista ao site The Verge. “Então ninguém ganha esse cabo de guerra”.

A trilha que o observatório está tomando em torno de L2 é realmente bastante larga, estendendo aproximadamente a distância entre a Terra e a Lua. Mas ele não pode ficar nessa trajetória para sempre sem alguma ajuda. Um motivo é que L2 é conhecido como “pseudo” estável, o que significa que objetos que orbitam este ponto tem uma tendência a sair de posição após um tempo.

Devidamente posicionado, JWST terá que fazer pequenos ajustes de curso ao longo da vida. A cada 20 dias ou mais, o telescópio disparará seus propulsores por dois a três minutos de cada vez para garantir que ele permaneça na órbita correta.

Leia mais:

Em última análise, esses ajustes determinarão quanto tempo o JWST pode permanecer ativo no espaço. Salvo uma falha mecânica ou eletrônica, a missão vai acabar quando o combustível se esgotar, daqui a 20 anos.

Ponto estratégico para proteção do observatório

O L2 é um lugar muito atraente para o observatório por uma variedade de razões. Talvez a maior vantagem seja o quão longe está da Terra e do Sol. JWST foi feito para coletar luz infravermelha, um tipo de luz que percebemos como calor. Por causa dessa escolha de design, o telescópio deve permanecer extremamente frio o tempo todo.

É por isso que ele está equipado com um escudo que sempre estará de frente para o Sol, refletindo o calor da estrela e mantendo o telescópio extra frio. Ainda assim, qualquer objeto próximo que emite calor e luz infravermelha pode estragar as observações de JWST se a Nasa não tomar cuidado.

Ao colocar o telescópio a quase 1,6 milhão de km de distância do nosso planeta, a Nasa está garantindo que a luz infravermelha vinda da Terra e da Lua não interferirá ou aquecerá o telescópio.

Esse capítulo encerra a arriscada jornada do observatório através do cosmos, abrindo caminho para que a ciência finalmente comece. Mas ainda temos que esperar um pouco mais para que JWST inicie suas observações. Cientistas e engenheiros agora começarão a alinhar os espelhos do telescópio, além de testar todos os seus instrumentos para garantir que eles estejam prontos para coletar as primeiras imagens extraordinárias das estrelas e galáxias mais antigas do Universo. A expectativa é que os “trabalhos” comecem em junho de 2022.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!